Socker, saker och söker I

Não foi legal ficar olhando enquanto o Joel fez as malas. Mesmo que eu saiba que dessa vez vão ser três semanas até a gente se ver, ainda é ruim ver ele ir embora –  foi dificil sair do aeroporto… tava muito bom com ele aqui. O tempo passa muito rápido quando a gente está se divertindo, e parece que foi ontem que eu fui para Foz do Iguaçu para dar os abraços e beijos acumulados em 5 meses.

E foram 60 dias mágicos. Umas das coisas que mais valeu gargalhadas nesse verão foram as minhas tentativas de falar sueco. O Joel fala português fluente e isto é muito confortável para mim. Mas eu quero tanto aprender sueco! E tentei algumas vezes… foi hilário mas foi delicioso. E até minha mãe entrou na brincadeira o dia que eu percebi três palavrinhas muito parecidas (que para mim ainda tem o som igual): socker, saker e söker – açúcar, coisas e procurar, respectivamente. Para mim, só soquer, soquer e soquer.

O sueco tem três vogais a mais do que o português: å, ä e ö. E não tem o ç. Além disso, todas as letras tem sons diferentes. Daí que socker (algo como sôquer) e saker (soóker) ficam tão parecidos que só um sueco pode perceber a diferença. Inventamos um jogo de advinha, e o Joel dizia um dos três e eu devia dizer qual era… Söker eu aprendi, mas socker e saker… ainda são açucar e açucar, ou coisa e coisa.

Enfim, eu percebi que talvez não seja a toa que essas palavras sejam parecidas. Afinal, quem procura sempre acha, e se você escolher bem as coisas que quer, vai ser muito feliz. E dai o que o açucar tem a ver com o pirão? Tem que está cada vez mais difícil ser doce hoje. E isso não é uma contestação daquelas bem caipiras – do tipo, no meu tempo… é só simplesmente: ser doce é muitas vezes sinônimo para trouxa ou fraco. O que você tem na mente, seus objetivos, metas, ideais, você só vai conseguir se for um tanto quanto duro.

É verdade. Mas somente da perspectiva de que se você desistir de primeira… nunca vai chegar. Pode ser uma visão influenciada pelo tamanho da paixão que eu to vivendo, mas amor é essencial. E o amor deixa a gente assim, mais sonhador, mais mole, e feliz. E é tão bom! Até a Skol usou a música do Beto Barbosa “Adocica” (Adocica meu amor, adocica! Adocica meu amor, a minha vida…) porque adoçar faz lembrar de coisas boas…  e a música pode até não ser do gosto de todo mundo, mas quem não quer um amor para adoçar a vida? 

E o que dizer daquela frase famosa “Lar doce lar” que tem um monte de gente que pendura na cozinha de casa? Ou na edícula? Ou em qualquer lugar? A sensação maravilhosa de se ter um lugar confortável onde se encontra paz criou o jargão, e não é  só em espaços físicos que você pode encontrar isso. Não é fantástico ficar com aquele amigo conversando sobre nada e tudo? Não é maravilhoso por a cabeça no colo da mãe ou do pai – mesmo que você tenha 28 – para reclamar de bobagens?

Isso só é possível porque existe um outro que pode nos proporcionar esses momentos, cheios de conforto, doces. É frustante encontrar gente azeda, que já acorda de mau humor. Eu não quero ser uma pessoa azeda, até mesmo porque o amor nos faz mais humanos… Deixemos explodir toda a nossa doçura!

Parece utopia, e talvez seja coisa de caipira mesmo. Mas quem pode fazer um mundo melhor se não a gente mesmo?

Desejo um dia doce para você!

Caraca... eu já to com saudade!

Anúncios

3 comentários sobre “Socker, saker och söker I

  1. ô mulher!!! Eu imagino a sensação de “acabou-se o que era doce” que tu tás, mas pensa pelo outro lado: são três semanas pra se despedir do teu povo, da tua terra, da tua casa, empacotar a vida dentro de duas malas com, no máximo, 32kgs cada uma e encarar aquelas 20 e tantas horas de avião rumo à Suécia :)

    Aproveita bem direitinho tudo e todos agora que tás aqui! Aproveita até enjoar, porque quando tiver lá, a realidade vai ser um bocadinho diferente, full av nya saker, söker, socker och godis!!!

    E seja sempre doce, porque quem se endurece por dentro, acaba sofrendo muito mais!

    Beijos :*
    Maíra

  2. Fica mesmo um gostinho do acabou-se o que era doce!
    Mas não é amargo não… é uma saudade boa!! kkkk

    Agora que você falou de godis, eu lembrei daqueles pretinhos,
    que são mais ou menos salgados e tem gosto de funcho (ou erva-doce?
    ou anis?) que chama lacris (ou lakris? eu não lembro!!) que eu
    a d o r o !!!!! ai ai…

  3. eu amo godis! fiquei tão feliz de descobrir que na suécia tem em todo canto :) meus preferidos são os de dentadura de vampiro e os com formato de minhoca e gosto de coca-cola! adoro!

Agora vamos prosear!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s