Good News! Bad news…

Eu tenho  personnummer (lê-se como quiser, mas em sueco ficaria algo como perxum-num-mer – eu to aprendendo ainda!) desde quinta-feira. E eu tava esperando tanto!!! Precisava, também, porque na verdade você existe de verdade só depois de ter o dito cujo.
 
Mas… sexta-feira aqui também foi uma espécie de feriado – tudo estava aberto menos partições públicas e algumas outras coisas – e na segunda também. Dai que para mim começar em SFI – Svenska sueco För para Invandrare estrangeiros e para ter o cadastro na agência de empregos sueca (arbetsförmedlingen) esperei quase 15 dias. E… nada. SFI só em junho e, bem, na agência de empregos eu quase não entendi nada porque o cara falava suinglês – que é o termo que eu inventei para definir as pessoas que dizem que falam inglês mas falam sueco com alguma palavra em inglês no meio.

É quase divertido. Eu tava eufórica a Páscoa inteira – menos por causa da gripe – e dai ontem eu murchei. A maioria dos anúncios de empregos tem como requisito o sueco. Eu quero aprender, mas a escola está cheia. A vida é dura não??

É dura mas é linda, maravilhosa. A primavera aqui é absolutamente fantástica. Quando eu cheguei há 15 dias quase tudo estava marrom e cinza, e agora há um tapete de flores brancas e lindas por todos os cantos, na beira das estradas, em meio as árvores cheias de folhas novas e explodindo de verde! E as árvores da praça da avenida que parecem ipês, com flores rosas como aquelas das Crônicas de Nárnia quando as árvores “conversam”…

 

Isso, e o sol. Ahhhh eu adoro sol, e ele tem dado os ares da graça todos os dias na última semana. Isso mesmo. O clima está bom, o vento é frio – pra caralhooo!!!, e todo mundo florescendo junto com as plantas, dá para perceber a felicidade geral devido ao calor de 16 graus. Sério, está quente para a primavera – algumas pessoas até brincam dizendo: ahh, você trouxe o sol e o calor do Brasil na mala?

Taí mais uma prova de que o ser humano só valoriza aquilo que não tem. E é sempre bom lembrar que eu não to falando de brincar de contente, mas de lembrar que há sempre coisas boas, mesmo quando nem tudo é da forma como gostaríamos. Aqui eu vi um monte de gente que sai de casa para curtir o sol, só assim e simplesmente: faz uma mochila com alguns sanduíches, água, uma manta pra jogar na grama e vai para qualquer lago ou parque, só e simplesmente curtir o sol.

Eu sempre acreditei nessa coisa de “quem sabe faz a hora e não espera acontecer”. E é isso – eu fiz um cartão da biblioteca de Gotemburgo hoje (quase tive um orgasmo: nunca vi tantos livros!! Claro, é tudo sueco, mas eu chego lá!), emprestei um livro “Lära Svenska” (aprenda sueco) e vou aproveitar para estudar. Quem sabe eu faça uma mochila com sanduíches e de quebra… 

Em pouco tempo, não vai ter problema nenhum o detalhe do requisito sueco.

Ps. Essa m€#d@ de wordpress trava muito e eu nem consigo escrever direito. As fotos são minhas e eu tirei aqui perto de casa.

Anúncios

Agora vamos prosear!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s