Midsommar

Essa semana a cidade está fervendo: todo mundo se preparando para comemorar o Midsommar amanhã, 24 de junho. Ontem eu estive no Systembolegt e estava lotado. Igualmente as lojas, que estão com uma espécie de queima de estoque de verão antecipada. E, assim como no Brasil a cada véspera de feriado, o mercado parece um formigueiro.

Midsommar é, teoricamente, o dia da metade do ciclo “quente” por aqui. É também, teoricamente, o dia mais claro – ou mais comprido, como preferir – igualzinho como o nosso São João, que a minha mãe repetia sempre que era a noite mais comprida do ano. Com essa diferença claro, devido a questão dos hemisférios.

Com essa agitação toda descobri que ninguém aqui conta o verão quando a Terra ultrapassa a linha X em sua volta ao redor do Sol: verão é quando as temperaturas estão acima dos 10º C. Então, mesmo que cientificamente o verão tenho começado no último 21, amanhã vai ser celebradada a festa da metade do verão já que maio, junho e julho são os meses em que a temperatura fica mais dias acima dos 10º C.

O que mais gostei em relação a essa festa é que será a primeira vez em que vamos participar de uma coisa no estilo vaquinha: cada um é responsável por levar alguma coisa. Isso porque todas as vezes que a gente sai para um piquenique ou um “churrasco”, cada um leva o seu. Claro que todo mundo é muito gentil e oferece para experimentar o prato que levou, mas na prática cada qual é responsável pela sua comida.

Eu e o Joel vamos levar o bål e uma salada. O bål nesse caso é uma bebida (a palavra significa tronco ou bacia), uma espécie de ponche e nós vamos fazer com vinho rosé, sidra e frutas. Eu nunca comprei vinho rosé no Brasil, mas aqui não é caro. Dai eu achei legal compartilhar:

– 1 garrafa de vinho rosé,
– 1 garrafa de sidra,
– 500gr de morango,
– 2 kiwis,
– melancia.
 

Atenção: esse não é um blog de culináiria. HahahAhahahA, é bastante óbvio, mas tem gente que acaba caindo aqui sem querer. Misture todos os ingredientes e fim. Beba com moderação. =]

Eu gosto muito de saladas e como todo mundo come muitos vegetais e verduras aprendi um monte de receitas de saladas – eu sou dona de casa agora. É uma pena que muitas coisas não são frescas como no Brasil! E como poderia, esse é um país de frio! Então eu tenho que dar o meu braço a torcer e reconhecer que morar em cidades maiores tem uma vantagem no que se refere a variedades das coisas que é possível encontrar em mercados ou casas especializadas… adoro queijo feta!

Eu to muito curiosa para descobrir o que mais terá nesse dia. Churrasco? Eu acho que não…

Anúncios