Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo…

No Brasil eu tive a assinatura da revista Seleções por quase dois anos. Sempre gostei muito daquelas matérias de histórias fantásticas da vida real e sobre felicidade. Em uma delas, uma pesquisa havia questionado um número X de pessoas sobre qual era a época mais feliz de sua vida em diferentes períodos dela. O resultado em todas as enquetes foi que maioria das pessoas disseram não estar tão felizes atualmente; que tinham sido muito felizes em certo tempo atrás; que cultivavam a esperança de ter mais felicidade no futuro.

Penso que a discussão sobre felicidade é lugar comum, mas você já percebeu que é exatamente isso? As pessoas sempre acham que estavam mais felizes há um ano atrás – por exemplo – do que hoje, e que vão estar melhores no futuro. Mas daqui a um ano dirão o mesmo!!

Essa semana eu estava puta da cara, um pouco triste. Afinal nem tudo são flores, eu passo bastante tempo sozinha, até chorei… eu choro quando tenho vontade. Não gosto: a cara da gente fica horrível, olhos inchados, o nariz escorrendo, que coisa nojenta! Mas eu aprendi com a Angela isso, botar para fora, chorar quando se tem vontade de chorar!! E eu me achei no direito: tem todo aquele blá blá blá de choque cultural, mudança de tempo e espaço, o clima muitas vezes não ajuda (estamos no verão, julho, o mês mais quente do ano: chove e faz entre 15 e 17 graus C), todo mundo está de férias viajando e eu to na casa, as partições públicas (leia-se Arbetsförmedlingen) não ajudam, to estudando sueco quase que todo o tempo sozinha… poxa, tadinha d’eu né?

Eu sou meio Pollyanna às vezes, quem lê o blog sabe, mas não porque eu brinque de contente e sim porque eu sou feliz. Posso estar frustrada, chateada e puta da cara com um monte de coisas, mas eu sou feliz! Simplesmente porque ser feliz é uma escolha. Hoje eu li um blog de uma brasileira que foi para os EUA e ela deixou umas palavras que eu vou copiar (com a maior cara de pau):

Às vezes temos a tendência de achar que a felicidade virá naturalmente.Não é não gente, ela precisa ser cultivada. Às vezes esperamos pelo momento perfeito com a visita perfeita para fazer aquela  sobremesa, para mudar o cabelo, para usar aquele vestido que não sai do guarda-roupa, pelo dia perfeito em que não estaremos cansados demais  para namorar o(a) esposo(a) na cama , pelo o corpo sarado para só então poder usar um biquíni ,pela conta bancária gorda para poder casar, etc…Em suma, passamos a vida esperando por um ideal que não virá até nós.
Na nossa realidade tudo trabalha contra nós:
o trânsito, o atraso, o estresse, a data de entrega de certo material, filas longas de banco, a doença,o almoço que tem que está pronto em cinco minutos, o problema do cliente chato, a criança que não pára de chorar,a burocracia de um país, etc… Essa é a verdade, gente.
O senhor tempo não vai esperar que as condições favoreçam para que sejamos felizes. O tempo de viver bem e feliz é agora. Dê fim as desculpas, dê fim a negação, dê fim a justificativas sem causa.Faça diferente.O amanhã não é garantido a seu ninguém.

 

Cada tempo traz a sua dificuldade, e agora é um período complicado para mim: não poder me expressar em sueco e não ter um trabalho são coisas difíceis e parecem tão grandes, mas eu sou feliz. Quando eu arrumar um trabalho vou ter dificuldades no trabalho – todo mundo tem, mas vou ser feliz. Eu nunca vou deixar de aprender sueco, e ainda quando conseguir me expressar não vou deixar de ser estrangeira. Mas vou estar feliz.

Eu sinto uma saudade enorme de meus amigos. Mas eu me sinto imensamente feliz por ter vivido tantos momentos fantásticos que me fazem pensar nessas pessoas de forma especial! Hoje por exemplo é aniversário da minha irmã (Gio parabéns!!)  e nós estamos milhares de quilômetros longe, mas assim é a vida! Eu posso escolher lamentar pelo resto do mês que foi aniversário da minha irmã e eu não estava lá para comer o bolo ou posso cantar parabéns para ela e mandar um vídeo!

Eu escolho o quanto perto ou longe vou estar, legal ou chata posso ser, o quanto posso amar. É verdade: amor é escolha, perdão é escolha, respeito é escolha, porque felicidade seria diferente?

A vida é aquilo que a gente trabalha para ser. É aquilo que a gente pinta!

Numa folha qualquer
Eu desenho um navio
De partida
Com alguns bons amigos
Bebendo de bem com a vida…

De uma América a outra
Eu consigo passar num segundo
Giro um simples compasso
E num círculo eu faço o mundo…

[…]

Nessa estrada não nos cabe
Conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe
Bem ao certo onde vai dar
Vamos todos
Numa linda passarela
De uma aquarela
Que um dia enfim
Descolorirá…

Anúncios

5 comentários sobre “Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo…

  1. Oh Querida!
    Eu sei como você se sente, sozinha em meio a multidão em alguns momentos.
    Se tivesse conhecido você antes de ir para a Suécia, talvez teria ido com você, heheheh.
    Estou adiando os planos de ir para a Europa desde 2005, mas acredito que o momento vai chegar!
    É isso aí, força na peruca e pé no acelerador!
    Apesar dos momentos tristinhos, a noite chega e passa, e pela manhã, as forças estão renovadas.
    Quando estiver tristinha, leia o Salmo 62, ou qualquer outro, para revigorar sua alma!
    Beijocas
    Mademoiselle Susie

  2. Dear, sei demais o que é isso…

    Minha adaptação nos EUA foi no mínimo, desafiante…Tive todos esses celeuminhas aí mencionandos acima,além de muito preconceito vindo da parte da cidade em que eu morava.Hoje eu moro na 3a. maior cidade dos EUA, mas no tempo eu morava numa cidade bem ovinho de codorna, sabe?

    No tempo da adaptação, era difícil aceitar certas coisas pq é um começo de uma nova vida. É como vir ao mundo de novo, aprender a nascer, a andar, a falar, tudo de novo… Mas com fé em Deus, dependência ele e muita calma e flexibilidade a gente chega lá.

    Uma vez escrevi um texto sobre nascimento, focando com a vida de expatriada. Se vc quiser conferir, está aqui:

    http://vivendolaforanoseua.blogspot.com/2011/03/blogagem-coletiva-fases-da-vida.html

    Qto à cópia do texto, não me importo, quando o crédito do texto é dado ao autor, eu fico de boa :)

    bjs!

  3. Ola ! Não pense que estás sozinha, sinto o mesmo que vc e quanto tenho vontade de chorar, choro mesmo, sou bem sensível, choro de saudade, de amor, de tristeza, só nunca chorei de alegria, pq alegria é pra rir bem muito, extravasar, dar gargalhadas ! Fico só, estudo só e na maioria das vezes penso no que tinha e o que tenho hj ! E me bate um desespero de saber que tenho que começar praticamente do zero novamente! Mas a vida é assim, se fosse tudo igual, sempre a mesma coisa seria um tédio né, o importante é realmente ser feliz! Fique com Deus! Michelle (Swedishlifebackup)

  4. Oi guria!

    Eu morei toda a vida em uma cidadezinha, é estranho para mim não ter tudo a algumas quadras de casa! Fazer tudo a pé, conhecer os vizinhos, falar oi para todo mundo e tals… mas é exatamente esse o sentimento: sou uma criança nascida de novo, a cegonha literalmente me deixou por aqui e vou ter que crescer para aparecer!
    A adaptação é complicada, mas acredito que é maravilhoso passar por esta transformação.
    Obrigada por me emprestar suas palavras numa boa!

    Beijos!

  5. Oi guria!

    Bom mesmo é ter coragem de estar triste e fazer disso um momento para refletir e afinar as metas! Afinal, rir de tudo é falta de percepção ou desespero!
    Obrigada pela força!

    Hej då! kram!

Agora vamos prosear!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s