Racismo na Suécia

Quarta feira é sempre dia de publicar alguma coisa para chorar as pitangas com o curso de sueco mas hoje passei mal e dormi das 13h até as 17h, perdendo a prova de argumentação. Fui até a escola e falei com a professora, estava com tanta dor de cabeça que não conseguia explicar que tinha dor de cabeça. Agora to nova de novo e por isso retomei um post que ando escrevendo há alguns dias… mas primeiro, tem mais uma blogueira morando na Suécia: a Jozy, uma mineira que veio morar numa cidade de Dalarna, lá no norte. Link ao lado, na categoria dos ‘cumpadis e cumadis’.

Hoje quando fui ler o blog da Somnia fiquei por dentro da polêmica do bolo “negro” que foi cortado e comido em Stockholm há dois dias – para ler o texto clique aqui; polêmica essa que cresceu “graças” ao facebook. A história é a seguinte: o artista africano Makode Aj Lind fez um bolo em forma de uma mulher negra e pediu a ministra da cultura sueca que cortasse o bolo; enquanto ela cortava ele gritava. Alguém tirou uma foto do ocorrido, escreveu 5 linhas sobre o fato de que todos riam ao “devorar” um bolo em forma de negra na Suécia e colocou no facebook; todo mundo que leu as 5 linhas acreditou que isso havia sido uma demonstração clara de racismo e compartilhou, e a coisa cresceu e cresceu… Felizmente tem gente com um pouco de sensatez para não se prender a 5 linhas escritas embaixo de uma foto – ou a sua imagem, que por certo é chocante – e que questiona, busca informações a respeito.

A foto da polêmica.
Fonte: Borboleta Pequenina Somniando na Suécia

Desde que eu fui para Borlänge to tentando terminar um post sobre racismo na Suécia. A questão do racismo na Suécia é delicada. Historicamente a Suécia não tem lá boas referências: havia grupos nazistas muito fortes e organizados e durante a década de noventa uma série de novos grupos que não se identificavam com o nazismo mas ainda pregavam a superioridade da raça branca – que usavam principalmente do rock para difundir seus ideias – se formaram para defender a raça nórdica. Mas segundo a Säpo e EXPO (uma organização contra o preconceito racial) esses movimentos diminuíram e quase estagnaram. De acordo com a reportagem do Göteborgs Posten de 05 de março, a maioria desses grupos de desestabilizou porque não soube, por exemplo, como trabalhar com o advento das mídias sociais – ninguém vai curtir uma página de racismo no face, não é mesmo? No facebook ninguém é racista ou homofóbico, machista ou corrupto – claro que existem algumas exceções… Em contra partida, alguns grupos estão tentando racionalinazar a discussão, se mostrando como “nacionalistas” ao invés de racistas e investindo pesado na política.

O Nationaldemokraterna é um desses partidos mais radicais, mas também há o Sverigedemokraterna – um tanto quanto mais sutil, mas nem tanto – que conquistou cadeiras no Parlamento Sueco nas últimas eleições. Durante a campanha eles tentaram mostrar e provar de todas as maneiras possíveis o quanto estrangeiros – principalmente refugiados – são um peso aos cofres públicos.

Apesar desses grupos contarem com um número pequeno de seguidores, chamam a atenção e utilizam de qualquer brecha possível para demonstrar que os suecos correm perigo na mãos dos “invasores”. Há algumas semanas um caso de um idoso que foi espancado em Kortedala por um grupo de rapazes “estrangeiros” – filhos de estrangeiros na verdade – foi o gancho para que Nationaldemokraterna organizasse uma demonstração em prol do povo sueco. A demonstração contou com a participação de 30 pessoas. Para o mesmo dia e mesma hora, 500 pessoas se mobilizaram para uma contra-demonstração: uma demonstração contra o racismo.

O povo sueco quer banir o racismo do seu país e esse esforço obtêm bons resultados. Aparentemente, apesar dos grandes problemas de integração, o preconceito entre suecos e africanos/árabes é muito maior devido a religião – a  maioria dos africanos e árabes que moram na Suécia praticam o Islã – do que por questões de raça/cor. Pessoalmente, a impressão é que há maior preconceito contra leste europeus do que contra “pessoas de cor”.

Poloneses, romenos e balcãs são tidos como fracassados fugindo de seus países falidos. Por terem passaporte europeu eles migram para os países do oeste europeu – melhor desenvolvidos na Europa – em busca de uma vida melhor, e na maioria das vezes o que encontram é uma vida muito dura. O setor da construção civil, por exemplo, está cheio de “polacos”. Já ouvi expressões do tipo “é só para isso que eles servem”.

E quem não serve “nem para isso” são os ciganos. Desde que mudei para Görteborg há duas ciganas pedindo nas portas do Nordstan: elas passam o dia inteiro ajoelhadas em posição de súplica – com o rosto voltado para o chão – esperando por moedas.  Recentemente uma delas levantou e veio direto para mim pedir esmolas. Fiquei passada: há ajuda em dinheiro do “social” sueco para todos – inclusive alguns brasileiros vivem do social por aqui – por que essas pessoas ficam pedindo esmolas? Em casa conversando com o Joel ele me contou que há muito os ciganos são tido como um povo que não tem lugar na Suécia – e nem na Europa, e que houve um tempo em que a Igreja Sueca foi responsável por castrar todos os meninos ciganos, numa tentativa maluca de conter o crescimento populacional. O principal problema com os ciganos é que eles são um povo sem país: alguns vem da Romênia, mas há ciganos da Índia, da América, de todo o lugar. Agora a Europa inteira está lutando pelos direitos desse povo sem nação, mas nem todo mundo entrou no clima: o presidente Sarcozy, da França, deportou ciganos de volta para a Romênia no ano de 2010.

A Somnia deixou um questionamento no post dela que achei bem pertinente:

Sim, porque a Suécia onde eu vivi, apesar de não ser perfeita, não combina com aquelas imagens. A Ministra da Cultura numa declaração aberta assim de racismo? Não. Mesmo uma ministra de partido moderado. Simplesmente não tem nada a ver com a maior parte das pessoas suecas que conheci e o como grande parte daquele povo luta para tentar ver todos os povos como iguais, ainda que diferentes. Ou será?

Racismo e racismos, as pessoas sempre tem seus preconceitos, mas compartilho da mesma impressão que a Somnia: o povo sueco (a maioria dele) trabalha muito a questão da igualdade, seja ela de gênero, de cor, de opção sexual, de religião, dos deficientes, seja do que for. Há problemas de integração, obviamente, mas isso é uma questão de choque cultural também.

E mais do que isso: as pessoas na internet precisam parar de se deixar levar por uma imagem seguida de 5 linhas… vamos praticar a inteligência pesquisando e nos aprofundando em algum tema antes de compartilhar. Nem tudo o que eu escrevo, por exemplo, é certo e justo!

Só 99% das coisas… =P

PS.: A respeito do trabalho do artista e da forma como escolheu tratar do tema da mutilação de mulheres na África ainda não formei opinião e penso que cada um é livre para não gostar e/ou gostar da “obra” ou da ideia do artista. Só não acho válido repassar a informação aos pedaços, como se fosse uma fatia de bolo. Não me aprofundei no tema do “bolo” porque obviamente esse foi o gancho do texto.

Anúncios

14 comentários sobre “Racismo na Suécia

  1. Oiiii :)

    Quando eu assisti as primeiras imagens pela reportagem aqui no Brasil, eu levei um susto, quando as primeiras imagens apareceram eu fiquei chocada mas não sabia sobre o que era,racismo não foi o meu primeiro pensamento, pensei que fosse algo relacionado a mulheres ( em geral), a idéia não tinha NADA A VER com racismo, mas quando se trata de mídia precisa repensar antes de tomar as atitudes, eu só me pergunto uma coisa: Será que nenhuma daquelas pessoas tinha em mente que a população iria criticar? ou entender errado? Eu não senti como racismo, mas me assustei sim quando vi a cena. Mas não vejo motivos para tanto auê.

    Puss puss*

  2. Não tive a impressão de racismo com relacão ao bolo, mas achei de uma péssima escolha, já que a idéia acho que era causar sensibilidade quanto a questão das mutilacões e não arrancar risos com o sofrimento alheio. Quanto à questão do racismo, a maioria dos suecos buscam realmente combater o preconceito, mas já presenciei algumas manifestacões contra estrangeiros, principalmente contra o pessoal do leste europeu. Espero sinceramente que não apareca um louco extremista como aquele norueguês por esses lados. Sacorzy chegou inclusive a dizer que diminuir o número de estrangeiros que entram legalmente no país. É complicado realmente, mas parabéns pelo post, muito esclaredor e bem escrito!

  3. Oii. Eu leio muito sobre a Xenofobia e o racismo na Suécia. Fico muito feliz em saber que os suecos estão lutando a favor da igualdade.

  4. Oi Monara, bem vinda ao blog!
    Pelo menos do meu ponto de vista, sim! Ainda que existam muitos problemas, a tendência é a superação… espero que isso aconteça logo!
    Beijos

  5. Gostei do comentario. Estou no Brasil, trabalho como eng na Caixa. Apesar da estabilidade penso muito em, apos terminar meu mestrado continuar is estudos. Estou considerando a Suecia.

  6. Nunca vi e e nem ouvi notícias sobre discriminação na Suécia. Diferenças sempre vão existir, Vejam o caso dos hutus e tútsis na África, ou de xiitas e sunitas nos países árabes, onde as diferenças aparecem dentro de seus próprios países. Acho que, baseado em inúmeras notícias, a única dificuldade de brasileiros na Suécia é mesmo o clima.A Suécia é um dos poucos países do mundo que gostaria de conhecer.

  7. Oi Robson,
    É claro que diferenças sempre vão existir. Veja o caso de nós brasileiros, que dizemos não sermos racistas mas taxamos todo baiano de preguiçoso e todo nordestino de pobre cabeçudo burro. Baseado em inúmeras notícias, podemos concordar com tudo o que você quiser, é só você escolher a notícia que melhor te agrada. Agora, se você realmente acha que a única dificuldade de brasileiros na Suécia é suportar o frio e a escuridão invernal, acho que você deveria vir morar aqui. Não vir passear – porque tem gente que passa 20 ou 30 dias na Europa de férias e diz que tudo é lindo – eu digo morar: arrumar apê, emprego, aprender a língua. Se você não for vítima de preconceito, ótimo. Só não feche os olhos para o que estiver te cercando.
    Bem vindo ao blog!
    Abraços

  8. Olá, meu nome é Bruno (14) e moro em São Paulo, SP.
    Realmente, achei muito interessante seu blog!!! Eu atualmente me candidatei para o 10º Fórum FAAP onde representarei a Suécia como país e fui direcionado para o comitê da FIFA sobre a Copa de 2022 que trata exatamente da questão de racismo. Adorei seus artigos em geral e acredito que serão grandes recursos para minha pesquisa! Creio que você não seja uma especialista em política desse país ou coisa do gênero, sem falar que este artigo já é um tanto antigo… Porém, adorei sua iniciativa de criar um blog falando sobre seu país natal, que é totalmente distante do Brasil em todos os aspectos, totalmente direcionado para o público brasileiro e/ou fluente em português. Aguardo novas publicações interessantes!!! =D =P
    Atenciosamente
    Bruno

  9. Olá, meu nome é Bruno (14) e moro em São Paulo, SP.

    Realmente, achei muito interessante seu blog!!! Eu atualmente me candidatei para o 10º Fórum FAAP onde representarei a Suécia como país e fui direcionado para o comitê da FIFA sobre a Copa de 2022 que trata exatamente da questão de racismo. Adorei seus artigos em geral e acredito que serão grandes recursos para minha pesquisa! Creio que você não seja uma especialista em política desse país ou coisa do gênero, sem falar que este artigo já é um tanto antigo… Porém, adorei sua iniciativa de criar um blog falando sobre seu país natal, que é totalmente distante do Brasil em todos os aspectos, totalmente direcionado para o público brasileiro e/ou fluente em português. Aguardo novas publicações interessantes!!! =D =P

    Atenciosamente
    Bruno

  10. Olá, venho de uma familia de Suecos da cidade de norrköping e realmente tudo isso que você falou se confirma! meus avós não suportam racismo com ninguém mesmo quando é de brincadeira, tenho orgulho de ser sueco descente. Ótimo post ; )

  11. Oi gente! Venho aqui falar da minha experiencia na Suecia (desculpe os erros em portugues meu lap top esta todo em Sueco)
    Eu morro aqui em Stockholm ha 2 anos vivo com meu marido Sueco e meu filho de 1 Ano e ja vive em outras cidades tambem..
    Aqui o racismo e demais com todos os invandrare ( imigrantes) os Suecos nazis Chama de Svart skalle ( cabeca negra ) nunca me sentir bem vida aqui em nenhum momento em varias situacoes os Suecos me olhando torto tipo nao gosto de invasores isso mulheres jovem, velha, homens de tudo
    Principalmente se for bonita com corpao as mulheres querem te matar.. Aqui e um pais feminista as mulheres que dao as regras que proibem tudo na Suecia a aqui tem partido contra imigrantes..
    As mulheres Suecas sao extremamente despeitada com as Estrangeira se for bonita Brasilera pior
    Os Suecos pensam que o Brasil e um pais quente e que todas as mulheres andam peladas por ai ..e que por ter o carnaval elas so sabe dancar e rebolar (skake ass )ainda tem fama de dar o golpe no bau kkkkkk nossa! E cada coisa ridicula que vcs nao em ideia.. Que gente ridicula! Depois de eu viajar tanto na minha vida nunca imaginava que iria passar por isso.. So aqui mesmo!
    Os homens Suecos viaja pra Tailandia tras as mulheres pra ca e as Suecas ficam Loucas!! Kkkkk
    Assim como todas as outras que Vivem aqui elas odeiam.. Mas esquece que quem busca as estrangeiras sao eles..( os Suecos) aqui e racismo com tudo ate pra conseguir emprego se os Suecos ver que o sobrenome nao e Sueco e se quer nao soar eles nem te chama para a tal entrevista.. Nao eles nao se importam se vc estudou aqui e aprendeu a lingua isso e pra vcs ter uma idea de como as coisas aqui funcionam.. E um pais muito fechado e nao sao nada simpaticos e amaveis.. Sao e racista pra Caralho! Desculpe a expressao mais e isso mesmo.,,
    Eu vou cair fora daqui e mais breve possivel com minha familia Pq cansei disso tudo…
    Adorei a Alemanha tenho um carinho enorme pelos os alemaes sao simpaticos educados e alegres
    Muito diferente dos Suecos aborrido se antipaticos racistas.. Se vcs nao acredita vao descobrir quando chegar aqui…Bjs! Espero ter ajudado..

Agora vamos prosear!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s