A Música na Suécia

Hoje acordei e o Joel me perguntou: Como é aquela música dos olhos? Ele queria saber qual era o nome de Pela Luz dos Olhos Teus – que eu acho mais do que linda; mostrei para ele dia desses quando escutamos Tom Jobim e ele também se apaixonou. Exatamente: nem só de Michel Teló vivem os homens, ainda que caipiras. Ultimamente tenho ouvido muita bossa nova e mpb, advinhem? Para o casório – aquele lance durante o jantar quando as pessoas tem que conversar e tals.

Felizmente, quem mora na Suécia ou já passou por aqui (e por alguns outros países na Europa) sabe da enorme vantagem e facilidade que é ter o danado do Spotify instalado no computador: ele é simplesmente uma biblioteca de música e você pode ouvir praticamente o que quiser sem ter de fazer o download das músicas.  Quando estive no Brasil umas das coisas que me fez falta foi justamente ele, o Spotify.

Bom e mau, porque não ouço “música sueca”. Foi a Moura que me perguntou em um coments o que os suecos ouvem e a verdade é que não sei. Quando eu vou em festinhas na casa de amigos suecos rola muita música que não é para dançar. Quando alguém quer dançar coloca bastante músicas velhas, tipo sucessos dos anos 80 e 90 – inclusive ABBA, Madonna e Michael Jackson. Tem um outro estilo que eu não sei definir, mas sei que tem muita gente que curte que é mesmo dessa banda aqui:

 

Você não tem impressão que ele está cantando fora do tempo da música? Tem uma série de bandas que ouço com um som semelhante, mas a única que me lembro é essa aqui – ainda mais porque esse tipo de batida não é a minha praia. Lembro que essa música tocou muito o verão passado, assim como as músicas de uma cantora chamada Veronica Maggio. O verão do ano passado foi só dela, com o sucesso “Jag kommer” (“Eu vou” ou “eu chego”), entre outros:

 

Na Suécia a música como um todo é uma coisa levada muito a sério e as crianças tem aulas de música desde o ensino fundamental (Grundskola) dentro da grade curricular dos cursos. Os interessados podem até mesmo cursar um ensino médio em que a linha principal do curso é a teoria musical.  Não é estranho as pessoas terem um piano em casa ou algum outro instrumento não tão convencional como o violino; eu  mesmo conheço uma família em que ambos – marido e mulher – são violinistas e as crianças já estão aprendendo o instrumento.

É graças a esse sistema de ensino que uma garota de 19 anos (na época) sueca  fez uma composição para o filme “Arn – O cavaleiro”. O nome dela é Laleh, e ela é simplesmente uma das queridinhas da nação. A música dela é muito suave, as composições beiram as de uma orquestra, mas ela também tem algumas canções mais pops. Detalhe: nesta música (que fez parte da trilha sonora de Arn) ela compôs letra e melodia. Com vocês, “Neve”:

 

Algumas das grandes estrelas da música sueca (ao menos as mais antigas e consolidadas) passaram pelo grande festival da canção que é o Melodie Festivalen. Ou foi. Quando eu assisti esse ano – pela primeira vez – achei tudo muito forçado e comercial. Mas o programa mostrou muitas das revelações da música sueca, como o grupo sueco mais famoso do mundo ABBA, e todo mundo jura de pés juntos que o programa já foi muito melhor.

Falando em música sueca que faz sucesso no mundo, alguns artistas tem maior reconhecimento fora da Suécia do que aqui dentro, como é o caso de bandas de rock – desde heavy metal até rock gospel – e cantores de hip hop. Quem primeiro me chamou atenção para isso foi a Renata, pois ela que me contou conhecer bandas muitos boas de rock da Escandinávia (e Suécia) que eu nem imaginava. Segundo o site wipash.net as três melhores bandas de heavy metal sueco em 2009 foram Opeth, In Flames e Dark Tranquility (concorda Renata?). No meio do hip hop, com  certeza Timbuktu é absoluto, apesar de ter um ritmo bem marcado e próprio. Também gosto do som dele, por isso escolhi para deixar aqui Resten av ditt liv (Pelor resto da sua vida):

 

Umas das cantoras suecas de que eu gosto, além da Laleh, chama Eva Dahlgren. Não é aquela coisa assim, que eu escuto tanto, mas acho o trabalho dela muito bom. “Ängel i rummet” (Anjo no quarto) é a minha favorita:

 

Deu para perceber que a música sueca é bem lagom não é? Tranquila e tals, mesmo aquelas que são para agitar. Mas nem todas as bandas são assim. Há, existem os podres da música sueca também, aquele tipo de música que é considerada politicamente incorreta: contra pretos pessoas de cor, mulheres, homossexuais e etc. (Diz o Joel que ele já foi um cara sério, mas só alcançou algum sucesso avacalhando). Eu vos apresento Eddie Meduza:

 

Além desse tipo, também tem bobalhões. É gente, graças a Deus Tiririca e Falcão não fazem parte de um fenônemo exclusivamente brasileiro. Esse cidadão aqui esteve no Melodie Festivalen desse ano… Senhoras e senhores, Sean Banan:

 

Essa foi cruel não? Felizmente, a música sueca tem seu futuro garantido, graças a artistas bons como a Laleh e esse duo aqui (pasmem) de duas garotas de vinte e poucos anos. Para encerrar o post com chave de ouro, First Aid Kit – The Lion’s Roar:

 

PS.: Acho que habilitei algum corretor automático de ortografia, então algumas palavras em sueco aparecem erradas. Já tentei arrumar mas se continuar… bom dai sabem!

Anúncios

9 comentários sobre “A Música na Suécia

  1. Håkan Hellström, Kent e Broder Daniel são queridinhos! Håkan é simplesmente sensacional… vale a pena olhar! se quiser deixo uns nomes de músicas que eu gosto.

  2. Oi Lays!
    Bem vinda ao blog!
    Esqueci do Håkan e de Hoffmaestro que admiro muito. Os demais nao ouvi falar. Me manda o nome das musicas de maior sucesso deles que eu faco um post numero dois com as contribuicoes que surgirem.
    Beijos

  3. de Kent é sem dúvidas Utan Dina Andetag, e tem também Kräm (så nära får ingen gå), Vinternoll2, Vals för Satan (Din vän pessimisten)… e Broder Daniel canta em inglês mas é ótimo… eu gosto de No Time For Us, Shoreline, Army of Dreamers, Happy People Never Fantasize… e de Bob Hund tem Dansa efter Min Pipa, Blommor På Brinnande Fartyg, Ner pa jorden… e tem Thåström, procure por Men Bara Om Min Älskade Vantar, Kärlek Är For Dom, När Muren Föll, e Mando Diao, que canta em inglês também, procure por Dance With Somebody… enfim, eu amo música sueca mesmo

  4. Então… E o Roxxete? Adoooro. É de uma época muito boa, anos 80, 90. Eles estiveram esses dias em turnê aqui pelo Brasil e vão continuar pela América do Sul. Tá certo que eles são de outra década, mas ainda fazem sucesso por aí também como fazem em outras partes do mundo? Por aqui, shows em Curitiba, Recife, São Paulo, tudo esgotado. Bem, na verdade pra quem viveu e curtiu essa época eles tem lugar cativo.

  5. Que massa, post sobre música :). Pois é, Opeth ainda é uma das minhas bandas favoritas, apesar de, na minha opinião, a melhor fase deles ter sido até 2005 mais ou menos. Já vi show deles em SP, pena que não pude ir novamente no ano passado.
    Quanto a In Flames e Dark Tranquillity, são bandas que eu curti só os primeiros cds, lá da década de 90. As bandas estão bem diferentes agora e não me agradam muito hehe. Com isso não concordo, acho que tem outras bandas suecas que mereciam estar no lugar destas, como Hypocrisy e Katatonia. Bjos e bom fim de semana!

  6. E eu que pensava que o mental ‘bombava’ na Suécia. Eu gosto de metal e o meu HD está cheio de músicas de metal feitas por bandas suecas (Destaque – Therion). Já o metal gospel não se surpeende se não fizer tanto sucesso aí, se é verdade que 85% da população é atéia.
    Por falar em ateísmo como que fica o casamento, mesmo não acreditando em Deus os suecos chamam um pastor para realizar a cerimônia? Você falou que não existe o casamento civíl e religioso como no Brasil, mas eu não entendi, o religioso tem valor legal ou ele nem existe mais?
    Sorte no seu caro casamento sueco!

  7. E eu que pensava que o metal ‘bombava’ na Suécia. Meu HD está repleto de bandas de metal que são suecas, destaque para Therion. O metal gospel não fazer sucesso é até de se esperar, se a informação que eu tenho de 85% dos suecos são ateus.
    Por falar em ateísmo e o seu post do casamento, como que fica essa questão, mesmo sem acreditarem os suecos chamam um pastor para fazer a cerimônia? Você disse que não existe casamento civil e religioso como no Brasil, o casamento religioso é legal ao mesmo tempo? Ou ele nem existe mais?
    Sorte no casamento!

  8. Oi Lucian!!
    A questao dos 85% de ateus nao posso confirmar. Ja ouvi que seriam 90, 75, 60 porcento ou menos… o que é claro é que o Reino da Suecia é laico. Quem casa na Igreja sao os poucos cristaos ou filhos de cristaos e a cerimonia é so pra bonito porque o documento que expressa que esse ou aquele é casado é de cunho civil.
    Abracos

Agora vamos prosear!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s