Emagrecer é preciso #02

To super desanimada. Sim: isso significa que meu programa de exercícios já foi por água abaixo. Na verdade, o mundo não acabou, nada está perdido para sempre, mas desde a quarta-feira da semana passada não levantei mais nem um pesinho, não fui mais caminhar, não treinei mais flexões, nem os polichinelos!

Cheguei a conclusão de que estou com um sério problema de baixa estima. Nunca na minha vida me incomodei tanto com meu “excesso de peso”, e eu realmente entrei no pique e trabalhei firme e forte. Mas eu não consegui descobrir se é uma desculpa ou se é realmente um agravante a questão dos meus horários de trabalho. Com o Zé eu tenho uma agenda fixa, trabalho todo dia assim e dia assado toda a semana. Já com o Zezinho (o menino autista) eu sou substituta, aí acontece por exemplo coisas meio loucas como esse fim de semana (ou desde quinta-feira) quando uma moça adoeceu e eu cai dentro da agenda. Resultado: trabalhei quinta, sexta, sábado, domingo, segunda, hoje e vou trabalhar todos os dias dessa semana até o domingo.

A verdade é que os patrões me ligam e perguntam se eu quero trabalhar e que eu tenho liberdade para dizer não – por ser apenas substituta – eu tenho outra coisa para fazer. O problema é que quando ninguém está doente eu trabalho só dois dias por semana… então é melhor dizer “sim, eu estou disponível!” do que esperar até que o próximo assistente fique doente! Daí eu estrago minha rotina…

Me sinto exausta porque se eu passo 8 horas no trabalho isso significam 10 horas fora de casa. Nessas dez horas eu posso estar em super atividade ou quase que dormindo. Explico: se eu tô com o Zé e ele tá na cidade podemos estar para lá e para cá olhando coisas em lojas; se eu to com o Zezinho e ele está disposto estou brincando o tempo inteiro. Mas às vezes o Zé quer só assistir um filme, e eu vou sentar ao lado dele (mesmo que eu tenha assistido ao mesmo filme 20 vezes), ou às vezes o Zezinho vai querer só que eu leia um livro (lembro de uma noite que passei uma hora e meia lendo para ele duas histórias diferentes e ao fim ele sempre pedia para que eu repetisse… só parei porque meu turno acabou!). Sem contar toda a questão do esforço físico: vestir, despir, corrigir a postura, mudar de posição uma pessoa adulta é pesado pacas… quero qualquer coisa que esteja incluída dentro da opção descansar quando meu turno acaba. E isso não incluem exercícios físicos.

Eu tenho tentado me alimentar melhor e por isso tenho sempre frutas na bolsa. Infelizmente eu não sei explicar mas tenho uma carência louca por coisas salgadas (alguém aí já viu fruta salgada? me conte o nome), e daí posso comer o que quiser doce que ainda chegarei em casa louca por um prato de macarrão com molho de tomate. Sorte que na minha lista de prioridades estão também um banho quente e a minha cama. Por preguiça não faço o tal macarrão, como qualquer coisa (salgada) e vou para internet/banho/cama.

E como mal. Pensando no tal prato de macarrão que eu teria de cozinhar em casa nesses dias eu sempre como porcaria. E por porcaria leia-se Mac Donalds. Obviamente esse foi um costume que adquiri aqui na Suécia pois na minha cidade no Brasil não tinha nenhum Mac Donalds. E mesmo que a gente comesse x salada ao menos uma vez por semana acho que não era tão gorduroso e tão junk como ir a esses restaurantes fast food. Mas depois de comer duas ou três variedades de frutas e ainda sentir o estômago vazio lá estou eu parada a espera do próximo trem que chega em 10 minutos pensando: quanto tempo demora para entrar na fila do Mac Donalds e pedir um Mac Feast? Voltei a tomar coca-cola… até quando compro um kebab peço uma coca-cola para acompanhar.

Alguém vai dizer que eu posso acordar mais cedo para me exercitar. Desculpe alguém, mas eu sou boa de cama e eu preciso desfrutar de ao menos 8 horas bem dormidas de sono. Ou isso ou sou uma lesada no dia seguinte – além de ficar de mau humor. Não é legal trabalhar com pessoas mal humorada.

Ainda bem que tenho aquelas semanas em que trabalho apenas dois dias. Então faço exercícios e cuido melhor de mim mesma. Pior que assim fica difícil ver algum resultado.

E eu definitivamente não to feliz com meu corpo.

Anúncios

6 comentários sobre “Emagrecer é preciso #02

  1. Olha Maria, antes de tudo, você é uma corajosa. Aliás, vocês todos brasileiros são. Entenda-me… Porque acho que eu não conseguiria morar fora. Mas aí ou aqui, afinal, rotina de trabalho acaba com a gente em qualquer lugar, vejo que você entrou no círculo do cansaço, na fase só quero meu tempo de sossego. A gente chega morta em casa e vai querer saber de exercício físico? Academia? Fora isso, ainda tem a má alimentação. Olha, tente mudar uma coisa de cada vez no processo. A coisa corrida, trabalho demais, nos impede até de comer algo decente. Cuidado para não ficar nesse batidão muito tempo, senão vai ganhar peso e perder saúde. Nós mulheres somos exigentes mesmo! Queremos gostar do que vemos no espelho. A maioria é assim. Se não gostou do que viu, fica deprê, Mas lute! Há algo que você pode fazer, ainda que seja mínimo. Levante e dê a volta por cima, afinal, você é brasileira e brasileiro não desiste nunca!!!!

  2. Eu juro que se você morasse aqui ia ficar contando as horas prá se exercitar comigo! :D Passaria o dia falando: “a noite vou treinar, e vou suar, e vou dançar, e vou ser feliz!” hahahahahah… E eu continuo sendo a mesma professora modesta de sempre! :P

    Coragem! Oscilações na motivação durante um treinamento são comuns. Logo a energia volta e você treina de novo! Beijo

  3. Eu também gosto de algo salgado! Morro de saudades da coxinha, pastel empada , quibe…
    Para manter a forma aqui, faço as coisas que me dão prazer: caminhar, nadar e dançar.
    Quando estava mais quentinho por aqui, praticava capoeira, jogava peteca e futebol, mas a medida que o frio vai chegando , percebo que minha disposição vai se acabando.
    Todas as quartas e quintas feiras gasto muita energia, já que estou fazendo estágio em uma creche e a criança corre de um lado para o outro e eu tenho que fazer o mesmo, o problema é que quando chego em casa meu marido ou comprou pizza, ou me convida para ir ao restaurante e eu só escolho KEBAB (amoooo) e batatas fritas e acho que recupero tudo o que perdi! hehe
    Teve uma fase que eu não podia ver o M do Mc Donalds que já queria entrar pra comer, minha estratégia para nem pensar em passar perto do M e caí em tentação, foi trocar o ponto de ônibus!

    Espero que você possa encontrar a melhor maneira para te deixar com o corpo que você deseja.

    Beijos

  4. Oi gente!

    Ju!
    Muito obrigada, to me sentindo agora viu? Ahahahaha… To tentando melhorar minha vida profissional por aqui, mas eu moro nesse novo mundo há pouco tempo e isso com certeza ainda vai levar um tempinho… mas depois: freeeeedooommmmmmmm!!!!

    *****
    Cíntia,
    Você gostou de Göteborg não? Muda para cá “fiona”! Eu te ajudo a encontrar uma creche bacana para a Beatriz! E a fazer bolo também… =D A gente malha juntas! Não parece fantástico??? Hahahaha!

    *****
    Jose,
    Ô menina arretada tu hein? Capoeira, jogadora de futebol… vixxxe! Isso não me pertence! Gosto muito de artes marciais e tenho pensado nisso com carinho, mas capoeira não é para mim (por incrível que pareça nem sei dar uma “estrelinha”…). Acho que também vou desviar do Mc Donalds. Problema é que dou de cara com Buger King. E o Max. E o kebab da esquina aqui de casa que custa só sek50 e qué enorme… dá para mim e para o Joel! hahahaha…
    Nunca fui muito chegada a salgadinhos: pastel, empada, coxinha, essas coisas maravilhosas que vendem na rua no Brasil. Acho que quando morava em casa tinha um tipo de úlcera (ou é o fígado que fica sensível, sei lá) porque comer essas gostosuras era sinônimo de passar mal… adoro o cheiro e o sabor, mas dai me obrigava a abstinência né. Meu problema é pipoca, pasta, e carne!

    Beijos queridas!

  5. Maria… Eu também sofria de falta de tempo (até à semana que passou). Acabei por ter que reduzir o tempo de trabalho de 100 a 85% pois já não aguentava o cansaço, as viagens para Estocolmo todos os dias, não ter tempo para mim. Eu acho que quando estamos cansadas a nossa moral reduz bastante, não sobra energia para fazer exercício e cuidar de nós mesmas, incluindo fazer comida saudável, que sempre requer mais tempo. Eu sou mais virada para doces e sim, também faço esse cálculo mental enquanto estou à espera do comboio… “Será que tenho tempo para ir ao Pressbyrån comprar um croissant?”, hahaha. Agora sei que não sou a única! Mas sabe, eu acho que isto são apenas fases em que a gente anda mais desiquilibrada, não seja dura consigo mesma e pense “baby steps”, dar uma caminhada de 5 minutos é melhor do que nada! Beijo. P.S. Já procurou o Bollywood Dancing? ;) ah, e ouvi dizer que Zumba também é muito divertido.

  6. Oi Joana!!!
    To dodói… nada grave mas não posso fazer exercícios (a história é longa). Já dei uma olhada no site da loja porque eu nunca entendo nadica de nada dessa butique quando eu to lá! Achei algumas coisas que estou interessada, mas não o Bolywood… zumba é 10, eu sempre fiz na academia quando pude.
    Beijos!!!

Agora vamos prosear!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s