Tudo de novo e outra vez

Nas cenas do capítulo de hoje a caipira vai para a escola e descobre que foi enganada mais uma vez.

Ok, agora parando com o melodrama – ainda que a minha relação com a escola na Suécia seja uma novela; não sei se recordam que eu desisti de uma vaga na escola chamada Hermods há um tempo atrás – porque o curso de sueco seria a distância; e me rematriculei de novo – em outra escola. Deixei uma reclamação por escrito no escritório da Vuxenutbildning e ganhei uma pessoa de contato que ficou todo esse tempo de espera do começo das aulas – em 17 de setembro – em contato comigo.

Na primeira semana de setembro recebi uma carta da Vux me dizendo que eles haviam aceito o meu pedido de matrícula e que eu tinha um lugar em uma escola chamada Studium. Sempre ouvi falar muito bem da escola e fiquei feliz. Tava só esperando chegar a carta da escola…

Que nunca chegou. Então liguei e liguei e liguei para a escola e ninguém atendia o telefone (coisa super estranha que só aconteceu comigo). Sem respostas, liguei para a D. Angélica, que é o meu contato dentro da Vux, e pedi ajuda. Contei um pouquinho da história toda e nem precisei muito porque ela se lembrou de mim e me orientou a mandar um e-mail para a escola (para ter uma prova de que eu tinha tentado o contato) e que continuasse ligando.

Fiquei no vácuo ainda depois de mandar o e-mail e na quarta passada consegui que alguém da escola atendesse o telefone. Disse meu nome, meu personnummer e “Eu tenho uma vaga aí para estudar SAS 2, mas não recebi nenhuma informação da escola… não quero perder minha vaga e etc etc”.

Daí não seria bem mais fácil só ir até lá e tentar pegar a professora nos corredores? Hipoteticamente seria, não fosse o fato de que NENHUM sueco dá informação para você se não tem 100% de certeza e que às vezes é só com o professor que você pode receber o plano de aula e todos os etc. Sim, porque eu começaria o curso depois de 17 de setembro, o que não significa que meu primeiro dia de aula seria o tal dia mencionado; mesmo porque as turmas já estão em aula desde 13 de agosto. Assim, indo até a escola eu teria apenas a informação do tipo: sua turma tem aulas as segundas a tarde a partir das 13h, a professora chama Ilona e a sala é a número 109.

Como eu estive trabalhando todos os dias da semana passada e não queria correr o risco de “perder” uma viagem fiquei ligando. Na quarta quando fui atendida a pessoa do outro lado da linha estava super insegura, me pediu mil desculpas, anotou meu personnummer e telefone, disse eu não tenho acesso aos dados agora, te ligo depois… e eu só ok.

E esperei… na sexta eu estava na porta de casa a caminho da tal escola para tentar agarrar alguém pelo braço na tentativa de não perder minha vaga na escola quando o telefone tocou e uma tal de Anne Marie disse que “sua turma tem aulas as segunda-feiras, sala 309, professora Ilona. Quer que eu te mande um e-mail com essas informações?” e eu sim, obrigada.

O e-mail não veio mas eu fui. Cheguei lá 20 minutos antes e fui procurar a professora – afinal eu queria conversar sobre o que a turma está lendo e blá blá blá – na escola em que estive eles vendiam o livro que a gente usava em aula na secretaria. Ela me pediu um segundo para resolver uma coisinhas, e eu esperei até 5 para uma para descobrir que estava na turma errada: ela é a professora do SAS 1. Fiquei p… o sangue subiu nas veias e eu tinha vontade de chorar.

Voltei a secretaria e lá fui deixada com a D. Rafatt, que me disse só e simplesmente “Não podemos te ajudar porque você está na turma errada. Eu não posso te mudar”. Expliquei toda a situação para ela – e a professora do lado olhando – que eu já terminei o SAS 1, que eu tava esperando para começar desde maio (sim, cinco meses sem aula, eu podia estar pronta com essa joça!) e todo o etc e tal que aconteceu a respeito da outra escola. A tal da Rafatt achando problemas, a professora só me olhou e disse: “eu sou a professora do SAS 2 também, sexta feira 9h, mesma sala”.  E se foi.

A Rafatt continuou que eu teria que conversar com não sei quem e não sei quem dentro da escola (sendo que as duas pessoas não estavam) e que ela não podia me ajudar, que eu teria de ir na Vux e… Eu respondi, não preciso ir na Vux, tenho um contato lá dentro, eu ligo para ela agora mesmo. Liguei para a D. Angélica e falei que o pessoal da escola estava achando problemas para eu ficar, que tinha acontecido um erro do sistema e eu estava no SAS 1 ao invés do 2 e eles disseram que não podiam me mudar de turma… a Angélica me pediu para passar o telefone para a tal da Rafatt. E depois disso todos os “eu não posso” passaram para “eu já mudei você, seja bem vinda.”

Descobri que as escolas tem um medo danado do pessoal da Vux. A Angélica me ligou depois e disse que eu havia errado quando fiz a matrícula – não discuti, porque aconteceu o mesmo quando saí do SFI para o SAS: o sistema dizia que eu tinha feito a matrícula para o curso do SAS G quando eu tinha escolhido o A. O A passou a ser 1, e mesmo assim, agora o sistema diz que eu escolhi o 1, sendo que eu já tinha concluído o mesmo em maio…

Mas a Angélica me deu os parabéns também. Disse que precisando eu devo chamá-la se tiver mais algum problema – ao final, as escolas não perdem nada quando ficam enrolando o aluno… mas perdem muito se a Vux fica sabendo. Para algumas escolas sempre somos os imigrantes burros que não conhecem a língua, não sabem se defender e que podem ser enrolados…

Aposto que eles não contavam com a minha astúcia…

Anúncios

13 comentários sobre “Tudo de novo e outra vez

  1. Maria Caipira!
    E nós ainda conversamos sobre esse assunto ontem, né?! Que coisa medonha isso! Mas fico feliz que tenha conseguido resolver essa pendência. Parabéns!!! Ah, e nada melhor do que ter “contatos” quentes… huhuhu. Quem pode pode, quem não pode se sacode. Um super beijo.

  2. Caramba maria! Estou “de cara” com sua saga para estudar. Minha escola é bem ruim, e dizem que é uma das melhores…. Quando a gente compara estudar inglês, um idioma universal que possui mil e uma técnicas, dinâmicas e recursos no mundo todo… e vê a realidade do aprendizado de sueco, um idioma falado por tão poucas pessoas, tão arcaico, método obsoleto… a gente deprime viu!

    Mas ainda com tanto a desejar você aprendeu. Parabéns!
    Boa sorte. beijo

  3. Parece um pesadelo, mas ainda bem que tudo ficou bem :) Eu também tive problemas com a escola (neste caso a Komvux) por causa da falta de organização e desinteresse dos professores… Será assim em todo o lado?

  4. Oi gente!!!

    Vânia…
    E não é que é mesmo? Você super atarefada na escola e eu nem… será que a sua situação é sorte ou azar? Ou será a minha? Bom que a gente tem do que reclamar quando a gente se encontra… hahahahaha!

    *****
    Cíntia,
    Pois é Cíntia… na verdade só continuo por causa daquela coisa que te falei aquele dia rapidinho: quero o diploma do sueco de “ensino médio”. Senão fiona, já tinha abandonado!
    (Ai que eu gosto de fazer um drama também! hehehe)

    *****
    Irmããã!!!
    Fico muito feliz quando te vejo por aqui! Faz um teste ai com um “oh, e agora quem poderá me defender?” que quem sabe eu apareço!! =D

    *****
    Joana,
    Pois é, tem a Josy que mora um poquito para lá de Stockholm que disse estar adorando o SFI. Fora ela, tenho uma amiga aqui em Göteborg que estuda nessa Studium (a escola em que vou começar) e que acha super bons os cursos deles… to esperando. Mas eu tenho fases e fases na minha vida: tem tempos em que tudo é fácil e desenrolado, tem tempos que tudo é um m…

    Beijos garotas!!!

  5. Menina, que novela hein?? Eu nunca tinha escutado complicacões assim nos cursos de sueco. A maioria dos casos eles são bem pretativos e querem ajudar, também organisado, eu me refiro ao SAS, pq com o SFI…. Só tenho más recordacões.
    Eu teria explodido de raiva se tivesse passado por uma confusão dessas. A melhor parte é que tudo deu certo, né?

    Bj

  6. Oi Deby,
    Falando sério, nem eu tinha ouvido tanta complicação… mas acho que é porque eu tenho pavio curto, me irrito e quando fico nervosa meu sueco vira um nhê nhê nhê sem sentido. Tenho que repetir e repetir, acho que fica muito óbvio que eu fico nervosa e como você mencionou, eles os suecos são muito prestativos e também ficam atrapalhados quando percebem alguém nervoso – a maioria quer apaziguar.
    Mas no fim, foi tudo ótimo: fui a aula ontem e adorei a professora.
    =D
    Beijos!

  7. Nossa, Maria, você é das minhas! Também não suporto ser enrolada, e ficar num jogo de empurra.
    Agora, achei interessante saber que há tantas escolas de sueco, só tinha ouvido falar do SFI. Você sabe me dizer qual a diferença entre as escolas? Ou qual a novela mais curta, nesse caso?
    Beijos

  8. Oi Carioca!
    O SFI funciona como introdução, digamos assim, para a língua. É como se fosse o primário da escola. Eles vão te ensinar a gramática básica pra você se virar no dia-a-dia com a língua. E vão focar bastante também na leitura e compreensão, escuta e compreensão e na pronúncia. Ao menos para mim, foi assim.
    Quando você sai do SFI pode ou não – depende do seu interesse, frequentar o SAS. O SAS é o curso de Sueco como Segunda Língua e corresponde a estudar português (como matéria) no ginásio e ensino médio. No SAS Grund você aprofunda a gramática do idioma, e no SAS 1,2 e 3 você estuda história do sueco, como argumentar, fazer reportagens, sinopses/resumos, etc. Se você quer entrar na universidade é bom ter o diploma do SAS, facilita. Mas esse diploma de sueco pode ser conquistado de outras formas: a Joana fez apenas uma prova, você pode estudar direto na universidade ou mesmo pela Folkuniversitet.
    Depois da minha experiência eu penso que se você não quer um diploma (na maioria dos caso não faz grande diferença, mesmo no meu trabalho nunca ninguém me perguntou se eu tenho diploma do SAS – só se eu já tinha terminado SFI) pode estudar o SAS Grund – só para dar uma aprofundada na gramática e cair fora.
    Beijos!

  9. Olá!! Estou lendo vários posts seus hoje :)
    Muito obrigada por responder! Meu namorado ainda comentou hoje que ele tem ouvido muitas pessoas reclamando do SFI, que ele não fazia ideia de que era tão ruim assim, mas que vale a pena eu começar por lá e depois partir para outros métodos.
    Me interessei por essas dicas, principalmente por essa da prova, você saberia mais detalhes?
    Eu não quero desanimar porque quero muito aprender a língua, então qualquer alternativa é válida.
    Fico triste em saber desse preconceito todo com imigrantes e de colocar todo mundo no mesmo bolo. Perguntaram ao meu namorado se eu estava me mudando pra virar dona de casa e viver às custas dele, engraçado que os filhos dessa pessoa nem sequer frequentaram a faculdade, e eu já tenho duas graduações. O que falta para algumas pessoas entenderem que existe vida inteligente fora da Suécia?!
    Mais uma vez, obrigada.
    Beijos

  10. Oi menina,
    O nome da prova é Tisus e você encontra mais informações no blog Boneca de Neve. Ou na internet mesmo. Eu acho que vale a pena procurar, depois do SFI você pode estudar sozinha (se tem pique) e fazer o TISUS – pelo que eu li no site da Joana você recebe o material para ler e estudar.
    Boa sorte com o sueco!

  11. Sagas do SFI…

    Comecei o curso numa escola onde estâo 25 pessoas de niveis de escolaridade, culturas e objetivos completamente diferentes.

    Fiz uma primeira entrevista: Quantos anos estudou? Prova pra nivelamento e iniciei o curso no livro A. Opa, peralá, esse nâo é o nivel para quem nunca estudou no pais de origem? Me perguntei. Simmmmm, me responderam. E a partir daì, comecou minha indignacâo com o pessoal dessa escola.

    Tem pessoas com 5 anos estudando e estâo no livro C. Aluno com 2 anos de curso e nâo sabe m…nenhuma.

    Questionando o coordenador ele desconversa! Pensei comigo, se nâo corro atrás, pior pra mim!

    1 mês foi meu tempo limite para suportar essa bagunca, hoje fui em Uppsala e irei comecar estudar là, transferindo de onde estava…o mesmo coordenador nâo disse nada por estar mudando.

    Espero ter finalizado minha pequena saga!

  12. Valeu, Maria, depois de passar pela saga do SFI, vou tentar encurtar caminho e ganhar tempo.
    Ninguém merece esse sistema que eles adotam de juntar pessoas que mal sabem ler ou escrever o próprio idioma com pessoas escolarizadas para aprender um novo idioma. Parece piada!
    Desejo sorte a todos que estão passando por isso.

Agora vamos prosear!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s