Vida dura, corpo mole e pudim

Fonte: Google.

Fonte: Google.

Só uma passada super rápida para reclamar um pouco: peguei uma gripe foda brava e caí na cama todo o fim de semana. Tudo começou com uma dor de garganta que mudou para algum tipo de virose e depois de correr para o banheiro  e deixar tudo o que eu tinha comido – por meio das duas vias possíveis – só me restava me arrastar pela casa.

Falta de vitamina D (comprei na semana passada depois de ficar um mês sem) ou falta de sorte?… ou as duas? A temperatura tem variado muito e fica dançando entre os 5 graus C e menos 5 graus; num dia chove e noutro tem sol e tudo está congelado. Nunca fiquei doente por pegar um vento torto mas parece que para tudo tem primeira vez. Até pode parecer que não tem nada a ver, mas uma pesquisa recente mostra que a vitamina D reforça a imunidade – especialmente contra infecções virais. Pesquisa aqui. Alguém leu isso e colocou no facebook, só pode, porque parou até no jornal a notícia de que o estoque de vitamina D acabou na cidade – justamente quando as minhas acabaram. Depois foi a minha memória que acabou por esquecer que a vitamina D tinha acabado… agora não esqueço mais.

Não me lembro da última vez que fiquei tão mole assim – ou sim, acho que lembro, foi a quando tive uma dor de garganta terrível e fui correndo para casa da minha mãe. Sem chance de correr para casa da mãe – e muito menos para casa de nenhum parente (suecos tem horror a infecção – fique em casa) – nem pude ficar dodói direito – pra ver como a vida no exterior é dura. Fiquei injuriada com meu corpo mole e decidi que ia gastar o resto das minhas forças tentando fazer um pudim. Olha que foi o esforço porque eu tava me arrastando… mas eu queria fazer de conta que estava em casa, e sobremesa de domingo era sempre aquele pudim gostoso que minha mãe faz.

E essa foi a pérola do fim de semana. Fiz um pudim de forno super prático que ficou maravilhoso. Pena que não pude comer quase nada porque nada parava no estômago… o Joel adorou! A receitinha é muito simples: açúcar para a calda, 1 lata de leite condensado, 1 lata e meia de leite, uma colher de maizena, 3 ovos. Derrete-se o açucar direto na forma e depois de carmelizado, junta a massa feita de todos os outros ingredientes bem batidos. Eu deixei no forno por 40 minutos com a temperatura de 180 graus porque apesar da receita que eu copiei indicar 30, depois dos 30 minutos o pudim tava mais mole do que eu. Mas no fim tudo deu certo e no domingo tinha pudim.

E não fiquem com nojo pois fiz o pudim achando que estava cansada e com dor de garganta, só.