Fettisdagen e alimentação

Falando em dia gordo...

Falando em dia gordo…

Hoje tá todo mundo “curtindo” a ressaca da quarta feira de cinzas no Brasil enquanto os suecos começam a dieta…  ou, assim seria o esperado depois de um “Fettisdagen“.

Esse palavrão é nada mais do que a “terça feira gorda”, e como eu já expliquei aqui ela leva esse nome porque seria o última dia em que eram permitidos regalos na mesa e guloseimas antes da Páscoa. O povo sueco leva muito a sério esse dias de guloseimas – ganhei uma semla enorme ontem no trabalho! – e por isso o dia que conhecemos como o dia de Carnaval no Brasil é, aqui, um dia onde a galera se empanturra de semla (o que é isso? Resposta aqui). Extremamente gordurosa e deliciosa, não há quem resista! Ou sim, já comeu semla Vânia? Depois de ingerir essa bomba calórica, dá até uma dorzinha de consciência… mas nada que uns quilômetros correndo ou uma boa dieta não consertem.

E quando eu digo dieta, bem, nunca ouvi um sueco ou sueca dizendo que está fazendo dieta para emagrecer. Já ouvi alguns dizerem que querem melhorar a alimentação, que estão preocupados com a saúde e por causa disso querem buscar alternativas mais saudáveis para o seu dia a dia e isso inclui, sempre, cortar açucares e gorduras.

Pah, eu não aguento viver de frutas e verduras, eu tenho que ter um bom naco de carne no meu prato. Assunto batido esse, já declarei umas tantas vezes que se já não soubesse que sonharia com um churrasco falando comigo faria a experiência de ser vegetariana por um período. Seria um sacrifício e tanto e por acreditar que a gente já recebe uma certa dose de sofrimento diário gratuito não tenho a mínima intenção de adicionar umas medidas extras a essa dose, obrigada. Já diminui o consumo dessa delícia e muito – no Brasil comia carne todos os dias e no fim de semana era aquele banquete – e até que não preciso me defender muito a respeito disso, mas quando o assunto é açúcar… sempre fiquei indignada por me considerarem uma consumidora compulsiva de açúcar. Sabem aquele história de pré-conceito? Alguns suecos acreditam que brasileiro come açúcar no café da manhã e que não sobrevive sem coisas doces.

Eu conheço muitas formigas e até ontem ficava quase brava quando ouvia coisas do tipo: mas você deve adorar doces porque vocês consomem muito açúcar no Brasil. Não, eu não adoro doces – prefiro salgados, fritos e com carne dentro… ahhhh pastéis de carne… com café! – como quase nada de chocolate e entre aqueles godis suecos os meus preferidos são os lakrits com sal e todas aquelas gomas que são azedas de doer. Mas o triste é que os suecos tem razão e que o que eles falam é que é verdade: consumimos muito açúcar no Brasil (cerca de 51kg por pessoa por ano!) e eu não to me referindo a Cristal ou União, eu to falando daquele açúcar que está escondido nas “fórmulas secretas” de bebidas industrializadas assim como de comida industrializada também. Não sabemos disso quando compramos essas coisas e, principalmente as crianças, estão pagando caro por isso.

Assisti dois documentários nos últimos dias falando sobre a indústria dos alimentos e como eles estão manipulando o mundo e nos vendendo toxinas. Adoramos Coca-Cola porque há um ingrediente viciante em sua formula. E pior: ele não está apenas na Coca-Cola e sim na maioria dos produtos industrializados que consumimos. Tudo que é diet pode e vai danificar o seu cérebro, enquanto você ingere outras coisas ruins – que não são açúcares, mas são piores do que o açúcar – que vão te tornar ainda mais gordo e mais adepto de coisas diet e light.

Eu não tô fazendo propaganda de dieta e nem vou oferecer nada milagroso para te ajudar a perder peso. Pra perder peso e/ou ficar saudável existe apenas um caminho: comer bem e fazer atividade física regular. O que significa comer bem? Comer bem é comer coisas naturais (feito em casa é considerado natural), e comer de tudo mesmo, cereais, carnes, massas, frutas, saladas com moderação e em pequenas quantidades; escolher alimentos orgânicos e deixar de lado tudo o que vem pronto na caixinha e vai direto para o microondas. Ou para o forno. Ou para a barriga. O que é atividade física regular? Se você quer ficar saudável e não sarado, 20 minutos diários de qualquer coisa que te faça suar são suficientes.

Mesmo quem não é cristão ou dá algum sentido especial para a quaresma pode usar esse tempo para repensar seus hábitos alimentares. Para mim é muito óbvio que depois que saí da roça e passei a consumir mais coisas industrializadas meu corpo mudou, e mudou para algo que eu não gosto. Dá mais trabalho ir para a cozinha e preparar uma refeição, mas aí já está um exercício. E nós precisamos nos mover mais nesse mundo em que tudo chega pronto e mastigado.

Falando nisso, chega de discurso. Aqui vão os links dos documentários!

Muito Além do Peso é um documentário sobre crianças brasileiras obesas e seus problemas de saúde – como pressão alta, artrite e diabetes; qual o papel da mídia e sua relação com esse surto de obesidade, qual o papel dos adultos diante desse problema, e a pergunta: porque não nos preocupamos com educação alimentar? Em casa, não apenas na escola. Visite o link abaixo e surpreenda-se!

http://www.muitoalemdopeso.com.br

E aqui fica a íntegra de Hungry for change ou “Famintos por mudança” – mas como o filme está no You Tube apenas desde ontem não sei quanto tempo vai estar lá, então deixo a dica de que há links para o download via Pirate Bay. Hungry for Change tem uma abordagem um pouco diferente a respeito do mesmo tema, agora com o foco não apenas na obesidade infantil mas na obesidade do mundo e o papel das grandes indústrias de alimentos nesse contexto.

A partir dessa quaresma vou cortar o aspartame da minha vida!