Livros! Eu quero livros!

Eu to muito feliz com meu presente de aniversário: um tablet. Eu posso ter quase 2 mil livros dentro dele, e a bateria dura o suficiente para a leitura de até 2 mil páginas. Mas até agora tenho seis exemplares no meu livro digital. Todos em sueco. E meu objetivo não era bem esse… Livros em sueco eu posso comprar em todos os cantos por aqui. O que eu quero mesmo são livros em português.

Dá última vez que falei sobre livros foi para responder o desafio da Joana e da Nara, vocês lembram? Naquele tempo havia começado a ler Eva Luna de Isabel Allende (que é um maravilhoso livro de contos, recomendo) e contei que queria ler a trilogia dos Tons de Cinza. Eu li a trilogia e gostei mas sinceramente, acho que a autora poderia ter economizado um pouco nos momentos quentes e ter escrito a história inteira em um livro só. Ou tá bom, eu tenho que admitir que o desfecho do primeiro livro dá um ótimo gancho para o segundo, mas o terceiro é totalmente dispensável, principalmente a parte final quando parece que ela já não sabia mais o que inventar. E longe de achar que o livro é simplório acredito que ele deveria ser utilizado por todas as escolas de psicologia porque traz uma excelente descrição de comportamento maníaco compulsivo por controle. E para todas as pessoas que dizem que a trilogia dos Tons de Cinza tem o mesmo calibre da trilogia Crepúsculo eu discordo total e completamente: o vampiro Edward não existe e apesar de adolescentes sonharem com um cara assim não vai rolar; já homens como Christian Grey existem aos montes e fazem o pesadelo de suas namoradas e esposas ser uma experiência apenas dolorosa e diária. É sério gente, o relacionamento deles é doentio e só porque o cara é rico e bonitão não vale a pena viver uma doença (muito menos por todo o sexo louco que eles faziam). A história é boa, viciante, mas eu não queria um desses para mim não.

Depois li “Känslan av ett slut” (O Sentido de um fim) de Julian Barnes. Esse livro teve uma história engraçada: quando fui para Mallorca comprei 1Q84 de Haruki Murakami – que é um livro um tanto grosso e que todo mundo fala muito bem, ao menos aqui em Göteborg. Quando cheguei no aeroporto percebi que tinha esquecido o livro em casa, então passei no Pocket e comprei o Julian Barnes; porque era barato e fino. Foi difícil pegar no tranco com o livro, mas como eu não tinha outra escolha… o cara conta de uma vez toda a vida dele, apenas salientando algumas passagens aqui e ali na escola e no tempo da universidade. Quando eu cheguei na metade do livro fiquei com um sentimento de “e agora? Já é o fim?” mas claro, o autor tira umas cartas muito interessantes da manga e o trem fica super interessante. O livro é muito bom mas eu não alcancei ou não entendi o sentido do fim que ele queria passar e talvez seja porque eu li em sueco e não sou capaz de interpretar e entender todos os sinônimos e entrelinhas; ou é isso: o fim não tem sentido.

To quase na metade do primeiro 1Q84 – que também é uma trilogia – e gosto muito. Em 150 páginas já houve um assassinato, uma moça passou para outra realidade, um aspirante a escritor entra num negócio duvidoso… Mas eu já to pensando nos próximos títulos, aqueles que eu vou ler no meu tablet.

Ouvi dizer que “O filho eterno” de Cristovão Tezza é maravilhoso e já está na minha lista. Alguém aí me recomenda outros títulos?

1 i 3

 

Anúncios

8 comentários sobre “Livros! Eu quero livros!

  1. Urkällan, todos de Allan Poe, todos de Machado de Assis, 100 anos de solidão, os 4 livros de As brumas de Avalon (a história do rei Artur contada sob a ótica das mulheres), 1984, Catch 22, A revolução dos bichos, Drácula, O amor nos tempos do cólera, O retrato de Dorian Gray, On the Road (aliás, tudo de Jack Kerouak e William Burroughs, literatura beatnik)… Mas certeza que muitos desses já tão na tua lista né :)

  2. Eu curti MUITO Capitães de Areia (Jorge Amado).Tem a filha do reverendo, suuuuper interessante.Se vc quiser chorar, leia “a ùltima grande licao”!

  3. Oie!

    Maíra,
    Eu li As brumas de Avalon há muitooooo tempo e fiquei aqui pensando se você está falando dos livros de Marion Zimmer Bradley? O 1984 que você diz é esse de Murakami? Não sou aquela fã de Machado de Assis mas já li uns par de livros dele… não conheço Allan Poe e os demais (ou não me lembro de ter lido algo deles), obrigada pelas dicas!

    *****
    Nara,
    Eu adoro um drama! Certeza que vou procurar A última grande lição!

    Beijos meninas!

  4. Isso mesmo, As brumas de Avalon são 4 livros de Marion Zimmer Bradley! 1984 é o livro original da década de 40, escrito por George Orwell, o mesmo cara que escreveu A revolução dos bichos. Esse do Murakami não li ainda, mas o título é 1Q84 e é supostamente uma homenagem ao 1984, mas já vi algumas críticas dizendo que é uma homenagem muito fraquinha. O 1984 é um livro fantástico, um dos melhores da minha vida. Allan Poe escreve sobre mistérios e histórias macabras e é um dos clássicos da literatura americana. O livro mais famoso dele é O Corvo, que inspirou um filme de mesmo nome. Machado pra mim é… incomparável. Um dos melhores autores em todo o mundo. Jorge Amado também é bem bacana :)

  5. Neste momento estou a ler “O Alquimista” de seu conterrâneo Pauco Coelho. Eu não sou grande fã do estilo de relato, parece uma fábula ou uma história infantil, mas não deixa de ser um livro muito interessante e com passagens muito bonitas. Recomendo!

  6. Maíra,
    Agora eu cheguei na parte do 1Q84 que ele faz referência ao 1984. O Corvo? Isso muito me interessa…

    *****
    Joana,
    Eu li tanto “O alquimista” quanto “As margens do Rio Piedra eu sentei e chorei” e depois disso desisti de Paulo Coelho. O estilo dele não me atrai e eu achei que os livros em si são muito parecidos. Mas, como tudo é uma questão de gosto, tem gente que ama o escritor e vê nos livros dele tudo de bom. Vale no mínimo experimentar para poder ter a opinião pessoal.

    Beijos gurias!

  7. Gente, uma brasileira, pertinho de mim que curte Murakami. Where have you been all my life???!
    Brincadeiras a parte, estou lendo e e recomendo “New Dheli – Borås / den osannolika berättelsen om indiern som cyklade till Sverige för kärlekens skull” do Per J. Andersson.

    Eu vi uma entrevista com o autor e personagem principal do livro no “God morgon Sverige” e me encantei pela estoria dele.

  8. Oi Sula!
    Bem vinda!
    Well. right here darling!! Hahahaha!
    Você leu “Hundraårigen som klev ut genom fönstret och försvann”? Eu lembrei dele quando li o título New Dheli – Borås. Parece um livro muitooo bom. Ultimamente tenho usado o meu tempo free no ônibus para ler o “körkortsboken”, afinal, eu já deveria estar pronta com minha habilitação mas… sou enrolada e ponto.
    Beijos! A gente se vê por aqui!

Agora vamos prosear!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s