Como validar o diploma

Eu validei o meu diploma o ano passado e depois de dividir essa experiência aqui no blog muitas pessoas me perguntam o que é necessário fazer para validar o diploma – universitário ou do ensino médio – na Suécia. Eu vivi uma história meio confusa e acreditei que só o histórico universitário bastava para o ingresso na universidade mas infelizmente não é bem assim.

E atenção: para validar seu diploma na Suécia é necessário portar um número social, ou seja, esse é um post com dicas para quem tem seu visto de residência e personnummer ou para aquelas que já sabem com certeza que terão – gente que estará mudando para cá com visto de residência por laço familiar (marido, namorado) ou visto de trabalho. Isso não é aplicável para quem está pensando em fazer mestrado na Suécia e quer mudar para o país por meio de visto de estudante.

Eu tive azar (um pouco de cabeça dura também) e vivi uma série de mal entendidos. Primeiro que ouve uma falha de comunicação entre o Vuxenutbildning e eu logo que me mudei para cá. Eu não sei se acontece com todo mundo mas durante a minha primeira visita na Vux eu fui falar com um studievägledare – um profissional qualificado que, em tese, sabe tudo sobre o sistema educacional sueco e que te ajuda a encontrar os melhores caminhos para você chegar lá e durante a conversa fui orientada a procurar pela validação do meu diploma universitário por meio da Högskolverket. Segundo o cara que me atendeu lá atrás isso seria tudo que eu precisaria para entrar na universidade mais conhecimento de sueco a nível de ensino médio (o SAS)- caso fosse necessária alguma complementação do meu curso universitário. Com base naquela conversa eu terminei o SFI* primeiro e só depois é que mandei minha papelada para o Högskolverket.

Nada mal, apenas que há um detalhe: para cada curso universitário existe uma exigência, mas a mais comum é que, além de sueco, você possa provar que tem conhecimentos em matemática, inglês e estudos sociais correspondentes ao nível do ensino médio sueco ou seja, suficientes para ser admitido na universidade. É claro que essa não é uma máxima, você pode conseguir o ingresso também por meio de uma prova – mais ou menos como vestibular onde caem exatamente conhecimentos de sueco, inglês, matemática e estudos sociais – mas o caminho mais curto é realmente a validação do diploma e histórico do segundo grau/ensino médio também (ou ficha 19, como a Rafa me ensinou ontem). O certo é que não sei se qualquer um pode fazer essa prova, enfim, esqueçam a história da prova porque eu apenas sei que ela existe.

Daí que eu marquei bobeira e nunca havia caído a ficha de que eu precisaria do meu histórico escolar do ensino médio mas eu preciso sim e acabei de enviar para a tradução (foi no mês passado, na verdade). E agora quando as pessoas me perguntam se devem trazer o histórico escolar do ensino médio e eu digo sim, traga (não antes, antes eu acreditava piamente que o histórico universitário bastava). Traga o histórico escolar do ensino médio, traduzido ou não, mas traga um original ou segunda via e busque a validação tão logo você colocar o pé no SFI. Se você não tem tempo ou não tem um tradutor juramentado a mão aí na sua cidade traga para a Suécia assim mesmo, aqui você escaneia e manda para o tradutor por e-mail, ele te manda um orçamento, se você concorda com o orçamento é só manda uma resposta dizendo pra ele por a mão na massa juntamente com seu endereço e em alguns dias você recebe por correio a papelada traduzida e o boleto bancário da cobrança. Simples assim, e serve tanto para histórico escolar como universitário (no caso de universidade, é bom se você traduz o diploma também). Aqui nesse link você encontra o endereço de e-mail de todos os quatro tradutores juramentados português-sueco da Suécia, pode entrar em contato e fazer uma pesquisa de preço. Eu traduzi meus docs com essa moça chamada Kerstin Walin.

Eu acho importante mandar o histórico do segundo grau para validação já quando você começa o SFI porque após o SFI você inicia na educação de adultos conhecida como Komvux e é lá que você estuda o SAS, matemática, inglês e estudos sociais; assim como outros cursos. Para o curso em que eu me inscrevi é necessário diploma em Serviço Social, SAS 2 (tem gente que me disse que agora a exigência já é o SAS 3 mas quando me inscrevi para o mestrado ainda era o SAS 2), Engelska A, Matte B e Samhälle kunskap A (toda essa nomenclatura já mudou, mas era isso que estava escrito na página de inscrição). Quando eu cursei o SAS (atualmente existem o SAS Grund, 1, 2 e 3) o curso era de 2h por semana (normalmente é isso mas você pode estudar a distância ou optar por outros pacotes em que o negócio é mais curto, tipo integral por 5 semanas) e eu tinha o resto da semana “de varde”. Eu fico super P da vida quando penso nisso pois não tenho a mínima ideia se o meu diploma de ensino médio será validado ou se eu deveria ter estudado matemática, inglês e estudos sociais (Samhälle kuskap) enquanto eu estudava o SAS – porque não? Quando eu tinha tempo de sobra?

Existem duas formas de validar o diploma do ensino médio, assim com eu fiz, que é inscrever-se para uma graduação (no meu caso foi mestrado) e enviar junto com essa inscrição cópia do histórico escolar do ensino médio – tanto original como traduzido – para o Antagning portal por meio do qual você se candidata a vagas na universidade. Esse é um meio arriscado pois se a sua formação não é suficiente você “perde tempo” e tem que correr atrás do prejuízo os próximos 6 meses, 1 ano. A opção mais segura, no entanto, é entrar nessa página aqui (em sueco) e enviar eletronicamente a sua papelada para o Universitets- och högskolerådet por meio desse formulário aqui – em sueco também. Os documentos necessários são os mesmos**: cópias do histórico escolar e diploma de ensino médio (original e traduzidos) mas também um personbevis – que você baixa pela página do Skattverket. O site informa que o tempo de espera é de cerca de 6 meses, mas dizem as más línguas que quando você busca a validação por meio do Antagning você recebe a resposta mais rápido e que por isso, alguns estrangeiros fazem de conta que querem um curso universitário só para terem o diploma do ensino médio avaliado em menos tempo.

No caso de diploma universitário o responsável pela validação deixou de ser a Högskolverket e passou a ser a Universitets- och högskolerådet, mas as regras continuam as mesmas: algumas profissões são regulamentadas na Suécia e para essas não tem choro nem vela, o diploma estrangeiro tem que ser aceito pela associação da categoria; em caso de profissões não regulamentadas basta enviar a papelada para a instituição acima; professores, apesar de não contarem dentro da categoria de profissões regulamentadas tem um tratamento especial e devem buscar a legitimação (também) na Skolverket. Você pode entender aonde mais ou menos você se encontra por meio dessa página do Arbetsförmedlingen (ache a sua profissão nessa salada e veja o que é necessário para que você possa dizer que essa é a sua profissão ou pergunte ao seu handläggare no A).

A lista das profissões regulamentadas você encontra aqui, assim como ao lado é indicada a organização/associação que você deve contactar para iniciar o processo de validação. Para as profissões não regulamentadas e profissionais da área da educação é só acessar esse formulário PDF, baixar, imprimir e preencher (ou vice e versa); juntar mais cópias do original e tradução do diploma e histórico universitário e enviar para o endereço que aparece no canto superior direito desse formulário.

Agora chega que eu quero aproveitar o sol lindo que está lá fora! É primavera hoje gente!

Ps.: Arrumei o link que não estava funcionando para a lista das profissões regulamentadas. Vale lembrar que caso você não queira estudar na Suécia você pode tentar a validação e procurar um emprego direto; porém nem todos os cursos são aprovados em 100%, você pode ter um percentual do curso aprovado e ter que complementar estudando matérias específicas na universidade. Mas se você tem intenção de trabalhar na área de vendas, por exemplo, uma dica é encher o saco do pessoal do Arbetsförmedlingen e entrar direto no Yrkes Svenska – tipo, ao mesmo tempo em que você estuda o SFI. Se sua educação superior é aprovada em 100% o negócio é correr atrás de emprego ou uma pratik (estágio)!

Nada impede que você busque a validação do histórico escolar do ensino médio ao mesmo tempo em que você busca a validação do diploma e histórico escolar universitário. Se você pode começar a trabalhar de uma vez e não tem tesão de estudar não precisa ficar quebrando a cuca com o SAS e disciplinas repetidas do segundo grau.

Por fim, a tradução dos seus documentos pode ser em inglês ou em sueco. Para o caso de pessoas que tem documentos em espanhol não é necessária a tradução (assim como no caso de norueguês, inglês, alemão e francês – eu acho que dinamarquês também entra na roda, está escrito em algum lugar lá na página que explica o que é necessário para o bedömning [avaliação]). O que sei é que no Brasil não é muito comum existirem tradutores juramentados em todo o canto; eu lembro de que quando traduzi o meu certidão de nascimento fiz em Foz do Iguaçu (cerca de 170km de onde eu morava) e o cara cobrava R$ 50 a mais se fosse para mandar por Correio. A minha sorte é que eu fui para um curso em Foz então não precisei fazer viagem nenhuma, só pedi que a tradução estivesse pronta até o dia tal (mas mandei a papelada com antecedência), ao contrário seria cerca de R$ 35 para pegar a papelada. E praticamente um dia de viagem.

E mais uma coisa (agora é a última mesmo): tem gente que fica fazendo terrorismo dizendo que tem que cadastrar toda a documentação na embaixada antes de embarcar para a Suécia e para mim isso é lorota, só um boato para fazer dinheiro. Não precisa ficar no stress no Brasil procurando chifre em cabeça de cavalo e indo a loucura porque não vai dar tempo de traduzir documentação, o tradutor mora no caixa prego e a embaixada só em Brasília! Será que nos consulados eles fazem o cadastro da documentação? (uma espécie de selo ou sei lá o que que seriam a única garantia de que seus papéis são verdadeiros). Na Suécia não tem dessas frescuras, você não precisa ir para cartório autenticar papéis ou reconhecer firma, qualquer pessoa*** pode assinar o seu “xerox” declarando que ele é igual ao original e ponto. Por isso que eu disse que quem quiser ou por algum motivo não pode traduzir tudo no Brasil não precisa se descabelar. Traga a documentação e depois aqui tudo vai se ajeitando.

*****

Um apanhado geral rápido e rasteiro:

– Para esse processo de validação é necessário personnummer (ou seja, visto de residência aprovado);

– Histórico escolar (do ensino médio ou universitário) traduzido por um tradutor juramentado para o inglês ou sueco;

– Diploma universitário traduzido por um tradutor juramentado para o inglês ou sueco;

– Cópias autenticas dos originais (em português e em inglês ou sueco);

– Formulários que você baixa nos links que deixei acima****;

– Enviar tudo pelo correio.

______________

* O SFI não é suficiente para entrar na universidade.

** Outros documentos podem ser solicitados e ao final da página existe o endereço para o qual você envia, no caso.

*** As cópias tem que ser autenticadas, mas se fizer o “xerox” na biblioteca – por exemplo – é só apresentar o documento original e pedir a atendente para autenticar (vidimera – kan du vidimera de?).

**** O formulário correspondente ao que você quer. Vai validar o diploma universitário, baixe apenas esse formulário. Vai validar o histórico escolar do ensino médio, baixe apenas o outro formulário. Não envie ambas as coisas para o mesmo local, as validações são tratadas por instituições diferentes.

Anúncios