Aviso (sutil) aos navegantes

Eu acredito que poucas as pessoas que precisariam ler esse post lerão, em todo o caso, eu sou daquele tipo chato que gosta da máxima: eu avisei…

O blog tem recebido muitas visitas no último mês e eu agradeço muito a vocês leitores queridos que tem gastado um tiquinho da vida aqui nesse cantinho virtual lendo baboseiras. Infelizmente, a fama tem algumas faces ruins e ultimamente, por exemplo, eu tenho deletado alguns comentários chatos. Então eu quero pedir licença aos leitores bacanas desse espaço e antecipadamente: desculpem-me! O puxão de orelhas não é para vocês.

Mas alô pessoas sem noção, homofóbicos e tipo, gente xenofóbica e escrota que vem aqui, por exemplo, xingar os estrangeiros. Só para você espertão, que vem aqui xingar os estrangeiros, se ainda não percebeu, EU sou estrangeira nesse país, e não vou liberar comentário de gente que faz esse tipo de conversa, simplesmente porque eu não concordo com a sua visão limitada de que os estrangeiros são os responsáveis pela crise européia. Por favor, leia ao menos um pouco de história antes de soltar as suas pérolas por aí!

E gente que vem aqui babar o neoliberismo… du, como diriam os suecos, veio parar no lugar errado. A Suécia não é a terra dos sonhos não, mas aqui o buraco é muito mais embaixo e definitivamente esse não é um país de direita. Aqui é necessário pedir licença para tudo e o Estado ainda controla muita coisa. Aqui tem educação pública sim, as escolas são privadas mas pagas por meio do dinheiro recolhido dos impostos. Aqui o Estado ampara o cidadão que não tem condições de viver uma vida digna. E isso não é somente ser esquerda, isso é tomar responsabilidade sobre o bem estar da população, é levar a sério o papel da governança, isso é democracia.

Se você quer um exemplo de país de direita eu te dou, é os USA, e lá quem não tem dinheiro se fode. Aliás, sabia que nos EUA eles fizeram um programa tirando o maior sarro da Suécia, dizendo que os suecos não sabem o que é bom da vida porque eles vivem num país socialista? Bom, é claro que você não sabe. Provavelmente você nem sabe que USA e EUA são o mesmo país, além de outras coisas mais. Se você não acredita em mim, eu vou te contar um segredo: Papai Noel não existe e governo de direita não funciona. Não é democracia, aliás, é industricracia, porque não é um governo para o povo, é um governo que paga pau para as grandes multinacionais. Se você acha que liberalismo econômico traz maior segurança ao cidadão porque a concorrência livre faz com que as empresas tenham que baixar preços, meu filho, tá na hora de você acordar para a vida. Concorrência livre é apenas sinônimo de “nós te enganaremos o quanto quisermos, não tem nenhum Estado de merda nos controlando”. Se fosse tão bom essa coisa de livre concorrência, por que é que o Brasil – um dos países com maior número de celular per capta do mundo (se não o maior) – continua tendo um sistema de telefonia celular arcaico? As empresas que estão lá não são multinacionais? Será que com os milhões que elas ganham não poderiam melhorar o sistema no Brasil? Claro que poderiam, mas a única coisa que elas fazem é “melhorar” o sistema de atendimento ao cliente – isso, aquele mesmo em que você é jogado de telefonista para telefonista, em que ninguém pode resolver o seu problema e que no fim resultará em uma fatura bem gorda que você terá que pagar para não ficar no SCPC.

Eu não sou a dona da verdade, mas esse espaço é meu (meu mesmo, eu pago por ele) e exijo que as pessoas que aqui quiserem se manifestar o façam com respeito. Se você quer deixar um comentário, seja bem vindo tanto para concordar como para discordar mas fique sabendo que se você usar a combinação bolsa família= programa de controle do governo sobre a população ignorante; ou estrangeiro= bando de vagabundos que atrasam a Europa; ou a Suécia aceita a homossexualidade e o aborto= alta taxa de suicídio; ou qualquer outra baboseira, você será deletado. Use de respeito se quiser ser respeitado. Ignorância não é receber uma bolsa do governo, ignorância é achar que você sabe tudo e que sua postura de idiota é aceitável, afinal, não vivemos numa democracia? Só que não é isso não, criatura. Ademais, o princípio democrático não inclui a intolerância e o racismo, homofobia, xenofobia, misógenia e o ódio aos pobres.

Obrigado a todos aqueles que tem acessado ao blog e que tem deixado comentários construtivos, ou perguntas. É muito interessante perceber que tem gente que encontra algo de bom aqui, e que volta, e que participa.

Aos demais, poupem meu tempo e o vosso e, quando quiserem soltar merda, vão até o topo da página, cliquem no X e depois dirijam-se ao banheiro mais próximo.

#prontofalei

Anúncios

13 comentários sobre “Aviso (sutil) aos navegantes

  1. “Ignorância é achar que você sabe tudo e que sua postura de idiota é aceitável” Muitas palmas, clap clap clap! E agora “entre nós”, Maria, e mesmo sem tentar ser querida, já deu para perceber que eu tenho uma visão da sociedade parecida à sua pelo menos no que respeita às questões que você abordou neste post. Beijos

  2. Oi Maria! cheguei no seu blog através de links em outros blogs! Ri alto com a parte de “…a Suécia nao é uma parte da Suíca…” (rs) Eu moro na Suíca e ainda bem que nao me perguntaram isso (tolerância zero).

    Sobre os comentários mal educados, concordo plenamente. Delete neles.

    bjao

  3. Adorei suas colocações Maria. Venho sempre aqui, leio seus post, gosto muito da forma como escreve e cada vez mais vejo que temos pontos de vistas bem parecidos, porém nunca havia deixado comentário algum, mas hoje não podia deixar de fazer, sou assistente social, trabalho com as famílias beneficiadas com o programa Bolsa Família e detesto quando esculto, aqui mesmo no Brasil, pessoas se referindo aos beneficiários do programa como vagabundos que vivem as custas do governo, o senso comum que a mídia nojenta tenta repassar a todo instante e as mulinhas de presepio absorvem como verdades absolutas. Você falou tudo nesse post. Parabéns mais uma vez. Beijos

  4. O assunto não tem nada a ver com o que vc postou acima, aliás, bom texto e excelente ponto de vista. Deixando de lado, estou lendo um pouco sobre a Suécia, estou lendo seus posts mais antigos pois quero ao menos entender algumas coisinhas(pra aí começar a estudar de verdade). Nunca havia reparado na barra lateral(com sua foto), sim, pode me chamar de símio, até que há alguns minutos atrás.. “Paranense nascida em Cascavel…”, pera lá, eu também sou de Cascavel! Então vejo que não sou o único Cascavelense com vontade de mudar de país.

    Uma dúvida, como uma parte da minha família é de imigrantes da Europa, consigo um visto com mais facilidade? Pra viajar/morar pela Suécia?(desculpe se já perguntaram alguma vez, não leio todos os comentários).

    Obrigado e continue com os ótimos posts.

  5. É melhor você ensinar a pescar do que dar o peixe. Ou seja, se liberarem o aborto, pode ter certeza que muitas pessoas (principalmente as mais desinformadas) não vão nem lembrar da camisinha. “Por que usar? Depois eu aborto mesmo. ainda mais aqui que o povo não tem consciencia, aqui o governo não daria conta de todos os abortos e teríamos um aumento significativo na população. Se hoje os hospitais são lotados, imagina se liberassem. É muito mais fácil investir em propaganda do que em medicina

    O problema é que existem casos e casos. Por exemplo, se aqui no brasil fosse legalizado, a coisa seria desenfreada. Mas de qualquer forma, sou a favor, na maioria dos casos.

  6. Eu também já tive essas visitas indesejaveis. Tudo muito bem colocado, eu sempre penso na quantidade de tempo que essas pessoas tem para não “gostarem” dos posts e mesmo assim comentarem com frequencia. Incrível!!!

    Menina, saudades… Tu já casou?? Vou já me atualizar aqui.

    Bjo

  7. Olá todo mundo… Queria só dizer legal o coments de vocês, mas eu consigo?

    Nara e Cíntia,
    Tem pra todo mundo viu? Hahahaha… convencida ou sim?

    ****
    Joana,
    Eu vivo tirando onda com meu marido porque ele adorar discutir política… mas e aí, que tal sentarmos uma hora dessas para fazer o mesmo? Vamos descobrir em que mais concordamos…

    ****
    Oi Chris,
    Bem vinda! Mas você fala alemão? rsrs…
    Pois é, tem que deletar mesmo pra não dar ibope. E ponto.

    ****
    Oi Claudia!
    Bem vinda ao blog e aos coments! Nosssaaaa, essa da vaquinha de presépio eu não ouvia desde os tempos de faculdade! Hahaha… fazer o quê né? Uma triste verdade. Sempre culpa do pobre…

    ****
    Daiana,
    A Carioca quer me abrir um fã club. Quer ser a secretária? :P Já teria dois membros!

    ****
    Oi Anônimo…
    Eu dificilmente fico olhando a barra lateral dos blogs que leio – sim, é uma vergonha. A gente deixa uma porrada de informações lá e nem mesmo eu, como blogueira, me atento a isso. Bom, eu não queria mudar de país, na verdade, eu queria ficar com meu marido e essa foi a forma que encontramos. Com relação a sua pergunta… você tem raízes na Suécia? Em todo o caso, responderei melhor em outro momento.

    ****
    Oi Marcel!
    Novo por aqui? Quer fazer parte do meu fã club? :D

    ****
    Mathias,
    Eu sou contra o aborto; tanto porque se trata de uma vida como porque eu acho que deve ser terrível para a mulher decidir isso (matar uma criança). Infelizmente, a gente não vive num mundo de sonho e nem mesmo eu, que sou contra o aborto e acho isso uma coisa terrível, gostaria de ter uma criança se ficasse grávida depois de um estupro, por exemplo. O que eu quero dizer é que, apesar de ser contra o aborto, não concordo que ele deva ser criminalizado e que a mulher tenha que ser condenada. Eu não concordo com seu ponto de vista a respeito de que tudo viraria festa assim que o aborto fosse legalizado no Brasil – além de que soa como se somente a mulher tivesse que se prevenir da gravidez. A lógica do seu comentário é o mesmo de se, por exemplo, eu dissesse que precisamos acabar com o Carnaval porque no Carnaval um monte de pessoas transa sem responsabilidade, fica com DSTs, engravida e etc e daí isso só aumento os custos para o SUS no Brasil. Eu não tenho ideia de onde você mora, mas lá de onde eu vim o povo busca remédio no Paraguai para “resolver essas coisas”, e quem paga o pato são as mulheres, que ficam “doentes” e depois são apontadas na rua como suspeitas. Se o aborto fosse legal no Brasil acredito que o número de pessoas que abortam diminuiria porque a gravidez indesejada deixaria de ser um problema que tem que ser resolvido as pressas e no escuro – muitas vezes porque o futuro pai ou a família não aceita. Haveria mais informação e apoio as mulheres que estão numa situação difícil e talvez algumas delas, que se sentem desesperadas, despreparadas e sozinhas mudassem de ideia… sei lá. E também não entendi a parte do “sou a favor” no final…

    ****
    Débora frô!
    Me casei em 27 de julho, mas demorei para postar.
    Olha, às vezes eu acho que a internet não é uma benção tão grande assim…
    Vai lá saber!

  8. Nossa…tô lendo todo o seu blog desde o início, pois meu marido conseguiu um emprego por aí e tals. E olha, você escreveu isso em 2013 e continua tudo atual em 2016…afff, que tristeza!

Agora vamos prosear!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s