Pequenas Grandes Coisas da Minha Vida Sueca #29

Eu já falei que esse mês completei dois anos e meio de Suécia?

Eu já disse também que parecem mais com duas décadas e meia?

Ok. Ontem voltei a escola e, como eu sempre fiz, quero reclamar. Sim, é da minha natureza ser uma chorona e outra, se eu não reclamar, vão achar que tudo por aqui é muito fácil. E é fácil, se você tem cabelos loiros e olhos azuis e sangue sueco e fala sueco desde o nascimento e… bom, chega de me fazer de coitada.

Tenho que estudar mais sueco e mais inglês para poder entrar na universidade. Por causa de falta de atenção (yes, it was my fault) eu não estudei inglês lado a lado com sueco e acabei por cometer também algum erro em junho (o último junho) por causa do qual minha inscrição para os cursos que eu preciso nunca chegaram ao Vux. 

Mas não há problemas porque sempre há mais cursos começando dentro de um período curto de tempo. Fiz inscrição em agosto e comecei essa semana, tanto SAS 3 como Inglês 6. Além disso, aproveitei o tempo depois do passo em falso para fazer a avaliação do meu nível de inglês e, uau! Quase parei no Inglês 7. Se não fosse o quase nessa nossa vida né?

Enfim, eu acho um saco estudar inglês. E não gosto de falar inglês. Mas eu preciso um pedaço de papel que diga que eu estudei inglês suficiente para entrar na universidade. Já a questão do sueco não é tão difícil: eu gosto de falar sueco, só acho um saco ter que estudar sueco na escola.

Primeiro porque não importa se você já estudou na escola ou não, o primeiro dia de aula será de apenas uma hora e meia de enrolação. Eles vão apresentar a escola, a filosofia da escola, vão explicar porque aquela escola é a melhor de Göteborg (todas as escolas que eu já estudei – e foram três – dizem a mesma coisa) e daí explicam alguma particularidade da metodologia adotada pela escola. Na escola em que estou (ABF Vuxen) eles tem uma plataforma online com uma sala online onde o aluno tem que entregar os trabalhos. Legal né?

Sim, não fosse o caso que o primeiro dia em sala de aula, o professor repete a mesma coisa. Aí eu penso: para quê um dia de introdução sobre a escola, com power point, bla bla bla, alunos (suecos) que explicam porquê a escola é muito boa (para um monte de estrangeiros); se o professor vai repetir tudo de novo? É bom mesmo receber a informação várias vezes. E é bom que isso conta como hora-aula, afinal, estamos aprendendo MUITO com isso.

De verdade, a única coisa que achei importante depois de todo o bla bla bla informativo foi apresentarem pessoas de contato para que os alunos que tem dificuldades ou precisam de apoio extra durante o curso possam receber ajuda, tanto no sentido educacional como social (dificuldade financeira, bullying).

O que mais me incomodou foi o que o professores tocaram o terror geral ontem. Tanto na disciplina de inglês como na de sueco. As duas professoras repetiram veementemente que ninguém consegue terminar o curso em nove semanas (eu me inscrevi para um curso de nove semanas, nos dois casos). Eles dizem que são muito trabalhos (4 no curso de sueco e 7 no curso de inglês, um total de 11) e que é impossível para o aluno concluir isso em dois meses.

Eu fiquei pensando por quê? Eu vou estudar apenas inglês e sueco, nada mais. Tenho 7 dias na semana para fazer isso. O que pode ser tão terrível assim? Eu não olhei nenhum teste antigo do inglês, mas sei que gramática não é meu forte. Eu venho estudando um pouco ali e outro aqui desde que soube que teria que fazer o curso. O que mais preciso melhorar, nos dois casos, é a escrita.

Cada indivíduo tem uma realidade diferente, e eu sei que fica realmente difícil para quem está estudando outras disciplinas do ensino médio ao mesmo tempo. Pessoas com dificuldade de aprendizagem ou gente preguiçosa e que costuma procrastinar (eu por exemplo) tem mais problemas também. Mas… eu vou estudar apenas sueco e inglês. Apenas isso. Do total dos 11 trabalhos que preciso apresentar 3 são orais. Para mim toma o maior tempão escrever, mas no mais…

Eu não entendo. Procurei as duas professoras para conversar e disse que quero tentar terminar o curso em nove semanas. Sabe o que elas me disseram? Você não vai conseguir. Tipo, na lata. A professora de sueco é a mesma do SAS 1 (aquela que eu gostava) mas a do inglês nunca me viu mais gorda. Ela não sabe quem eu sou, o que eu quero, qual a minha motivação. Aliás, nenhuma das duas sabem. Como elas podem dizer já que eu não serei capaz de concluir o curso em nove semanas? Escrevi até um post no facebook ontem dizendo que estava morrendo de saudade do meu último professor de inglês, que sempre dizia que a dedicação pessoal dá o tom do seu estudo. Quando a questão é vocabulário, não há outra forma de aprender a não ser sozinho: lendo, ouvindo música, rádio, assistindo filmes e séries na língua que você quer aprender. Escrever também depende de treino.

Eu não tenho dislexia. Eu gosto de ler. Eu odeio inglês mas preciso aquela porcaria de papel. Eu tenho boa memória. Eu tenho preguiça mas tracei uma meta! E oito semanas (essa a gente já perdeu ouvindo como a escola é boa e como os dois cursos são difíceis) para estudar. Será mesmo tão impossível?

Fiquei muito triste ontem e cansada dessa merda de ser estrangeira. A professora do sueco me disse que mesmo quem é sueco tem dificuldade em terminar o curso com uma boa nota… bem no tom do como é que você, estrangeira, vai conseguir?

Eu me sinto excluída nesse país. As pessoas colocam todos os estrangeiros dentro de um mesmo saco e acham que todo mundo tem o mesmo tipo de dificuldade. Não importa aonde: seja na busca por emprego, no trabalho ou na escola, eu sou tratada como um ser que não entende. Talvez eu não entenda mesmo, mas e daí? Até a minha capacidade de acreditar em mim mesma e tentar querem tirar de mim?

Ainda quero meu certificado em nove semanas. Se o blog ficar em silêncio, vocês já sabem porquê.