Diário Caipira-58

Acho que a vida na Suécia mudou bastante por conta da pandemia. Não foi nada radical como o que aconteceu durante o período de confinamento na Itália. Mas, só pra citar um exemplo: essa semana recebi um e-mail da companhia de transporte coletivo aqui da região (västtrafik) onde a empresa pede as pessoas que não usem transporte público se não for por motivos profissionais. Um e-mail no tom “fique em casa, pelo bem de todos” quando o normal era o contrário.

Eu cheguei a conclusão de que a estratégia sueca primária não era salvar vidas; ao menos não diretamente. Essa é uma opinião simplesmente baseada no achismo e não vale para usar como nada além disso mesmo: um achismo. Todas as vezes que ouço a coletiva de imprensa da Agência Nacional de Saúde Pública se fala da estratégia sueca de enfrentamento ao Covid-19 como se o mais importante durante todo esse tempo tivesse sido administrar o número de casos graves de modo que o sistema de saúde não entrasse em colapso.

Obviamente um sistema em colapso faria com que o número de mortos fosse ainda maior do que é. Eu estou assim com essa impressão de que a idéia era: preservamos o sistema de saúde e o número de mortes será controlável. Mas não foi. E a Folkhälsomyndigheten está até agora sem entender quem foi o caminhão que passou por cima deles.

Ao mesmo tempo, o chefe da agência de saúde virou tipo uma estrela. Tem gente que tatuou o rosto dele. É. Eu sei. Bizarro.

Essa semana não estou muito confiante na estratégia sueca de contenção.

Agora vamos prosear!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s