Diário Caipira-

Hoje Gotemburgo ferveu. Não por causa de uma festa – ao menos que eu saiba – mas porque estava quente. Nossa que dá um nó na minha cabeça esses dias que a gente inclusive transpira por essas bandas. Até andei pela sombra – coisa que era prática comum lá no Brasil e que aqui perdeu completamente o sentido.

Pois bem, temos o luxo de morar pertinho de uma lagoa. Já coloquei uma fotinhas dele por aqui. Calor e sol combinam com banho refrescante, certo? Errado. Combinam com “tente convencer as crianças a sair de casa”.

Por fim quando chegamos ao lago estava poluído de gente. Em plena segunda feira… Eu ia dar meia volta mas agora os piás estavam correndo para a praia. Lembrei da briga pra tirar eles de casa. Pensei na briga que ia ser dizer “vamos embora”. Desisti. A ideia era ficar uns minutos para as crias brincarem na areia, já que eu levei um tempão pra convencê -los a sair. Mas quando vi a multidão escolhi um cantinho longe e avisei os meninos que a gente ficaria só um cadinho.

Entraram na água, rolaram na areia e eu ali, apreciando o entra e sai do povo que vinha, pulava na água, nadava, saía da água, gastava dez minutos ao sol e depois ia embora. Quando o choque do “meu Deus tem uma pandemia em curso o que é que toda essa gente está se embolando aqui?” passou eu percebi que só as mulheres com crianças (eu incluída) gastavam mais do que dez-quinze minutos a beira do lago. A maioria vinha com a toalha no ombro.

Fiquei pensando num post que li sobre o quanto as mães com crianças que fazem parte do grupo de risco tem sofrido com o isolamento. Fiquei me perguntando se está certo me expor, expor as crianças por conta de um luxo.

Às vezes eu acredito que o melhor da estratégia sueca de combate ao Covid é o fato de eles pensarem no bem estar das crianças. O isolamento quebra a rotina e aprisiona muitas famílias em locais pequenos com crianças. O isolamento é extremamente necessário nos contextos de sociedades onde a família estendida e principalmente idosos convivem com os mais pequenos de maneira intensa e até mesmo dividindo o mesmo teto. Mas não é o caso sueco.

Os raios de sol aqui são um luxo tão caro… só passando a escuridão e isolamento do inverno pra entender a necessidade de sair durante o verão. Que vai acabar qualquer dia desses… basta chover e estamos aí, de volta aos 10°C.

Me sinto muito dividida mas tenho certeza de que se a Suécia tivesse adotado o lockdown eu estaria doente. É ser muito egoísta? Sim. Tenho consciência disso… só não tenho certeza se deveria fazer algo a respeito.