Isto é confuso…

 Passei uma semana sem escrever no blog, porque eu tenho problemas com o Word Press. Constantemente ele muda sozinho as configurações e eu perco o maior tempo arrumando tudo: cada vez que vou escrever um post preciso autorizar os comentários, a conexão com Facebook, e até refazer o visual do blog!

Bem, para não parecer que eu sou tão boba assim com coisas de internet, volto para o sueco – no qual eu ainda estou bem boba. Minha palavra preferida é VAD (= o que) que eu uso com um grande ponto de interrogação na esperança de que a segunda tentativa de entender seja mais bem sucedida que a primeira. Normalmente a pessoa ri e repete um pouco mais devagar… mas eu não aconselho a tentar isto com pessoas mais velhas. Porque – de novo – o sueco (idioma) falado da forma correta é uma coisa imensamente importante. Então você deve usar o “Forlåt! Skulle du kunna upprepa det långsammare?” (Desculpe! Será que você pode repetir isto devagar?). É, a vida é dura…

No vácuo de en e  ett, o sueco tem o den e det; eles funcionam quase como este/esta; esse/essa. Você vai utilizar para uma referência ao substantivo, então en ord utiliza den, e ett ord utiliza det. Den e det também aparecem como denna e detta, como no caso de essa semana – denna vecka, por exemplo; mas comunente servem mais para aquilo/aquele/aquela.

Isso parece imensamente confuso porque é imensamente confuso. Os próprios suecos só sabem isso porque repetiram a vida inteira, e se você pergunta, por exemplo, mas por que?; vai receber um sorriso e porque é. Mas, eu tenho uns exemplos de um site sobre sueco (para ver, e não para entender):

Jag vill kopa bilen röda den(Eu quero comprar um carro vermelho.)

Vi bor i det huset röda. (Nós vivemos na casa vermelha).

Den e det não são utilizados quando o substantivo está no plural. Nesse caso, é utilizado de (que se lê dom): De röda bilen (os carros vermelhos). De significa também eles, elas (ele=han, ela=hon, eles/elas=de).

Em muitas frases você vai ver o DET como it, sem nenhuma razão relacionada a um substantivo. Por exemplo, se alguém lhe pergunta (diálogo sueco): Chega você para nós na quinta (kommer du till oss på torsdag)?; você responde: Sim, isto faço eu (ja, det gör jag). Dai não importa en ord ou ett ord, você utiliza o det simplesmente porque ele indica o sujeito da frase. Em sueco ninguém diz está frio, diz isto é/está frio!: det är kalt!

Dai que uma frase boa de saber é vad är det på svenska? (o que é isto em sueco?). Quando o objeto está longe, utilize o detta (e o dedo… afinal, é preciso apontar o que se quer saber =P).

E por fim, meu e seu também estão no vácuo de en e ett: min/mitt e din/ditt. Min bil. Mitt  hem. Din bil. Ditt hem. No plural usa-se apenas mina e dina.

E o plural… bem eu adoro português porque o plural é com s!!

Jag förstår inte!

Eu comecei outro dia a coisa com dicas para aprender sueco. Sinceramente, é difícil definir o que partilhar quando não se sabe muito, então vou abordar principalmente as coisas que foram/são importantes para mim.

E a primeira abordagem é acerca de EN e ETT. Esses são os artigos suecos (e também o numeral 1) e a principal dor de cabeça de todo o mundo que não nasceu sueco. En não é um artigo feminino e ett masculino, ou vice versa. Aceite que EN é EN e ETT é ETT e simplesmente saiba que isso define toda a formação de uma frase. Cada substantivo é definido ou não por um desses artigos, e a má notícia é: não há regra para sua aplicação. A boa notícia: se você tem um dicionário está escrito qual é.

A “regra” é que EN e ETT são aplicados de acordo com o gênero do substantivo: se ele é neutrum (neutro) é ETT-ORD, e se ele for utrum (comum) ele é EN-ORD. Para saber se a palavra (ord) é comum ou neutra, você deve descobrir se ela vai acompanhada por en ou por ett (isso o Joel explicou!). Hahahahaha – a verdade é que eu não sei. Mas tem uma explicação (histórica): quando o mundo passou a ser civilizado e a bárbarie não era mais uma coisa aceitável, os vikings começaram a pensar em uma forma de continuar sacaneando todo o mundo que não fosse viking. Enfim, eles inventaram essa forma de tortura bem sutil: o utrum e neutrum – a coisa com EN e ETT na gramática sueca. Acredito que eles ficaram extremamente satisfeitos porque é uma prova de resistência. Se você é capaz de superar à vontade louca de desistir disso quando começa a perder cabelos, se torna digno que ser incluído ao mundo viking.

Skoja. A historinha é pra descontrair. É assim porque é. Tudo indica que você vai aprender dessa forma: bil [carro]=comum; hus [casa]=neutro. Ou melhor, para carro se usa EN, e para casa, ETT . Enfim, é como o Joel falou. O bom disso é que existem mais substantivos comuns do que neutros, por isso na dúvida chute em EN.

O porque de isso ser tão foda difícil é mais ou menos isso:

– Um carro= en bil; se você utiliza para qualquer carro – artigo indefinido. O carro=bilen; se você está se referindo a um carro em específico. Mesma coisa para casa: uma casa= ett hus; a casa= huset.

Muda o substantivo, e o adjetivo também quando você usa um ou outro. Normalmente o adjetivo é acrescido de um “t” no fim quando o substantivo relacionado é ett-ord. Por exemplo: Det är vackert huset (Isto é uma casa bonita) – Det är vacker bilen (Isto é um carro bonito).

Hummm, sinceramente espero que ajude. O nível das frases que eu usei como exemplo é porque o meu sueco tem agora esse nível – de criança das séries iniciais do primário. É… nesses horas eu penso que ficções como Matrix poderiam ser verdade. Então eu compraria um arquivo com todo o arcabouço teórico, gramático e fonético do sueco que seria descarregado/arquivado no meu cérebro. Seria fluente assim que o download fosse concluído.

Na prática, demora mais!

Lära dig Svenska

Estudo sueco todos os dias. E escuto todo o tempo. Acho que isso é bom, só não tenho segurança de que aquilo que eu faço sozinha está certo. Na verdade, eu não sou muito segura para me expressar fora do português, às vezes  até no português é difícil para mim falar. Haha, é eu sei. É ridículo uma tagarela dizer que não tem segurança para falar – mas é.

Eu tenho garimpado sites na internet e mais blogs, a procura de dicas gramaticais a respeito do sueco ou o que, qualquer coisa. E eu encontrei um blog lindo e maravilhoso – em sueco. Eu só não sei porque a pessoa (que eu não lembro nem o nome), teve o trabalho de colocar em português uma introdução para explicar o que nós (que estamos aprendendo essa língua – ou tentando) já sabemos: que a regra geral do idioma sueco é que todas as regras são mais como uma exceção do que um norte. Simplificando: você tem uma regra que se aplica a um pequeno conjunto de palavras ou frases, todo o mais você deve aprender caso a caso.

Entretanto, nem tudo está perdido. Eu tenho encontrado pessoas maravilhosas que me dão pequenas dicas que tem iluminado a minha experiência de aprendizado. Isso é fantástico (helt underbar), e por isso eu quero compartilhar. Eu fiquei na dúvida em escrever isso aqui no blog, porque eu sei pouquíssimo sueco e não fiz nada de escola ainda, então se alguém perceber que eu escrevi uma besteira grande, por favor corrija. Sempre que eu puder vou estar citando as referências.

Eu ainda não encontrei brasileiros e/ou brasileiras que tenham mudado a menos de um ano para Göteborg. Parece que todo mundo vai para Stockholm. Mas fiz algumas amizades e isso é fantástico. Dai que ganhei a dica de ir para um Språkcaféet, que é tipo um lugar para praticar línguas. Aqui em Göteborg eu sei de dois, um em Angered e outro no Centro. Os endereços são esses:

1.Centro
Esperantoplatsen 7 – 9
411 19 Göteborg, Suécia
Fone: 031-774 21 50
 
2.Angered
Kryddnejlikegatan 9,
424 53 Angered
 

Em Angered está aberto às quinta-feiras, das 17h30 às 19h.

Varsågod!