Futebol na Suécia

A Suécia já foi desclassificada mas eu resolvi dar uma palhinha já que a Eurocopa me levou a desejar uma televisão em casa. Sim, eu funciono igualzinho a maioria dos homens: sempre vivi a minha vida muito bem e tranquila, até que fui na casa de um amigo e assisti futebol em uma TV grandona… passei a imaginar que seria maravilhoso ter uma igual na sala lá de casa. E daí seria legal trocar também o sofá, comprar as cortinas e…

Voltando ao futebol: a Suécia não é um país com uma louca paixão por esse esporte, tanto que nem participou da ultima Copa do Mundo e o melhor resultado dos últimos tempos foi o terceiro lugar em 94 – depois de ser eliminada pelo Brasil na semi-final… Aliás, o Brasil é a pedra no sapato da seleção sueca: quando eles quase chegaram lá em 58, perderam a final para nós.

Já quando o assunto é a seleção feminina de futebol os papéis se invertem: a seleção sueca está em todas, sempre disputando as finais contra os EUA, e é considerada, juntamente com Japão e os próprios EUA, uma das três melhores seleçoes do mundo. E a Marta, brasileira e melhor jogadora do mundo, joga aqui.

Apesar da Eurocopa ter acabado para a seleção sueca eles ao menos se despediram com um feito fan-tás-ti-co: meteram 2 golaços na França. A França deu mole e ficou o jogo inteiro brincando (os zagueiros apostaram numa linha de impedimento que funcionou só porque jogador sueco não consegue correr) depois de a Suécia ter perdido de virada tanto para a Inglaterra como para a Ucrânia; mas eu também acho que a seleção francesa não é lá aquelas coisas.

Os favoritos ao título são Espanha e Alemanha, sendo que também se classificaram para as quartas de final Portugal, Inglaterra, França, República Tcheca e Grécia. Quero deixar aqui o vídeo do gol do Zlatan sobre a seleção francesa, simplesmente porque foi de um primor:

 

Saudade do futebol brasileiro sabe? E eu acho errado quando algumas pessoas dizem que brasileiro só come e respira futebol, que não tem que se orgulhar, que tem que pensar na corrupção e em melhorar a política pública brasileira etc. Primeiro que para melhorar as últimas duas questões temos que sair do discurso e segundo, por que não ter orgulho das coisas boas que temos na nossa terra? Vocês não tem noção de como são duros esses pernas de pau europeus! Somos bons de futebol sim e tem que torcer e vibrar e saborear isso!

Se é para morrer por futebol já é outra história…

Ordem e Progresso, a bunda é o sucesso!

Dias desses eu encontrei um folhetim com propaganda do Brasil daquele tipo com o slogan “conheça o Brasil” no céu de uma praia ensolarada, mulheres bonitas e todo mundo feliz, mais ou menos pelado. Abri o folhetim para espiar – o que será que teria ali? – e vi duas páginas sobre o Rio de Janeiro,  meia página sobre Salvador, e dali em diante um quarto de página para algumas outras localidades brasileiras – a Amazônia, o Pantanal, Fernando de Noronha, e pasmem, nesse folhetim Foz do Iguaçu existe!

Eu não sei como se sente o resto do povo brasileiro, mas me dá uma depressão disso! Todo brasileiro é da cor de jambo – até se assustaram por eu dizer que sou brasileira porque “sou branca demais”, toda mulher sabe sambar, em todo o Brasil tem praia, todo mundo usa bíkini – para trabalhar também… Assim assim, o Brasil é formada de um número sem fim de Rios de Janeiro com direito a um pacote completo que contém desde o glamour de Ipanema a bizarrice da favela – porque até a favela está cool devido algumas produções hollywoodianas.

So… o que dizer dos índios de verdade? Sim, aqueles que em pouco tempo serão afogados… O que dizer de nós, do sul, que não sambamos, não temos praias famosas (Balneário Camboriú talvez?), que somos colonos, gaúchos e caipiras? Quem sabe o que é chamamé? Alguém sabe que nem todo baiano pratica candomblé, e que nem todo mundo na Bahia curte axé? Sabem que o nordeste é mais do que sertão, é mais do que pobreza, falta d’água e forró? E o povo do meio do Brasil, que está agorinha mesmo descobrindo o que é água, energia elétrica e estrada de asfalto?

Sabe que às vezes quando o Joel diz para um grupo “minha namorada é brasileira”, alguém me olha e fala só: Ronaldo (?). E sorri. Ou faz um pouco de mímica do tipo o cara que joga bola. Puxa, índios falam o que mesmo, tupi? Não, os brasileiros falam espanhol.

Tinha uma festa de funk, no sábado e eu fui. Acho que gosto de tortura enfim. Ouvi cada coisa… “mulher brasileira tem vergonha de dançar o funk, tem vergonha de mostrar a cultura do seu país!”  Imagina se eu teria vergonha de mexer as cadeiras como se estivesse transando com o cara que canta ‘vai que vai, vou na frente, vou atrás…’

Eu amo mesmo o Brasil. E puxa vida, penso que está crescendo e melhorando. Mas daí ver um folhetim mostrando o Rio de Janeiro como “o Brasil” e ouvir que funk é a cultura do nosso país… tipo TODA A CULTURA, e não uma das expressões culturais de um país de 180 milhões, me faz sentir tanta estranheza, tanta tristeza…

Que país é esse???